Empresário caxiense é destaque nacional por suposto envolvimento em esquema de propina no INCRA; ele nega as acusações

8.4.22

Empresário Pablo Said nega qualquer envolvimento com oferta de propina


Com a manchete “Ex-chefe do Incra detalha à PF esquema de propina com dinheiro público”, o jornal O Globo dedicou reportagem de página inteira abordando o depoimento prestado pelo ex-superintendente sobre uma suposta oferta propina feita a ele pelo empresário caxiense Pablo Said.

Relatando detalhes da suposta oferta de propina, o advogado Marconi Gonçalves, que chefiou o Incra-MA entre novembro de 2021 e janeiro deste ano, contou à Polícia Federal que Pablo teria lhe abordado em frente a sede do órgão em Brasília.

Ex-superintendente do Incra relatou suposta propina em depoimento à PF

A propina envolveria um suposto esquema de construção de casas populares financiadas com recursos públicos.

Os principais sites do Brasil publicaram o caso e centenas de páginas regionais e blogs compartilharam a publicação (veja aqui e aqui).

Na mesma reportagem, Pablo Said nega peremptoriamente participação em qualquer caso de propina conforme trecho da reportagem do jornal carioca em destaque abaixo:

Procurado pelo GLOBO, Said confirma que esteve com Gonçalves no Incra, mas nega ter oferecido propina ao advogado. Segundo ele, é “inviável financeiramente” o pagamento de 10% por unidade habitacional e que o contrato com o Incra ocorreu por meio de chamamento público, processo utilizado para firmar parcerias. Além disso, ele diz não pertencer a nenhum grupo político — o ex-superintendente que o acusou foi indicado pelo deputado Josimar Maranhãozinho (PL-MA), investigado pela PF em outro caso.

"Para mim, isso é uma surpresa. Eu estou tranquilo. Isso são coisas infundadas e caluniosas. (...) Nunca ofereci nem pedi nada. (...) Ele vai ter que provar. Casualmente, eu estava na antessala para tratar de projetos (no Incra), e ele estava também. Eu me apresentei para ele. Não tem encontro. Coincidentemente, descemos no mesmo elevador, na recepção e pronto. Aí, depois, não teve nada, zero. Se eu estivesse devendo, não tinha nem atendido a um jornalista", afirmou Said.

O blog deixa o espaço aberto caso o empresário queira prestar mais esclarecimentos.

Atualização 

Confira nota do Incra e esclarecimentos do empresário clicando aqui.

0 comentários:

Postar um comentário