Léo Coutinho colhe o que plantou!!! Equipe da Record/SP está há vários dias em Caxias apurando mortes na Maternidade Carmosina Coutinho

30.1.15
Bem, o prefeito Léo Coutinho está apenas colhendo o que plantou. 

Todos se lembram quando da primeira reportagem que foi ao ar pela TV Band/SP sobre as mortes de bebês na Maternidade Carmosina Coutinho.

Naquela oportunidade, Léo Coutinho, com sua inteligência acima da média, protestou contra a emissora paulista pelo fato da matéria que foi ao ar nacionalmente ter sido produzida pela afiliada local da Band.

Ele então não economizou nas críticas contra o proprietário da Band/Caxias e, num lance de sabedoria como só ele é capaz de protagonizar, enviou correspondência à Band/SP com suas explicações e uma boa dose de deboche e ironia contra a empresa caxiense.

Finalizando a tal nota à Band/SP, Léo Coutinho pediu que enviassem uma equipe isenta para apurar a veracidade das informações, no que foi prontamente atendido.

Enviaram para Caxias o mais polêmico e respeitado programa, o CQC - Custe o Que Custar, que teve uma passagem memorável pelo município

Mais uma vez, Léo Coutinho e seus correligionários de todos os preços e todos os tipos “desceram das tamancas” protestando pela forma, segundo dita por eles, debochada, irresponsável, inapropriada e de antijornalismo do programa.

O tempo passou, o assunto esfriou, mas o choro das mães que perderam seus filhos, e continuam perdendo naquela unidade de saúde, continuam praticamente todos os dias diante da falta de solução para o problema.

Clamando pela presença de jornalistas sérios, eis que o prefeito Léo Coutinho continua com as mesmas respostas de antes: os números [de mortes] não são exatamente esses e a culpa, se é que ela existe, deve-se a falta de ajuda do governo do estado na gestão passada.

Deve-se ressaltar a forma destrambelhada que o prefeito dirigiu-se a repórter paulista, pois tão logo foi abordado pela mesma, passou a fazer um discurso sobre a situação da Maternidade antes mesmo de ser feita a primeira pergunta a ele.

Mas foi só o prefeito ouvir a primeira pergunta para tirar o caráter sério da entrevista: perguntado sobre a veracidade das mortes ocorridas naquela maternidade e alertado que agora ele é réu numa ação sobre o caso para que Léo Coutinho mostrasse o quanto Léo Coutinho ele é.

Com respostas truncadas, o prefeito pediu à repórter da Record que volte a Caxias em três meses quando ele acha que tudo estará as mil maravilhas.

Vê-se aí uma grande contradição, pois se os problemas não existem e os óbitos estão dentro dos números preconizados pela OMS, então por que em 3 meses será encontrado outra realidade?!

Pelo jeito, muita água ainda vai rolar por baixo dessa ponte até que a administração Léo Coutinho possa encontrar uma saída para a grave situação enfrentada diariamente na Maternidade caxiense, palco de tanta dor e sofrimento para milhares de famílias.

1 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Eu fico imaginando o que essa repórter pensou, ao chega em Caxias e se deparar com duas afiliadas da Record.Pode isso Arnaldo?

Postar um comentário