A qualidade e gestão ambiental no território codoense. Quem são os vilões?

31.1.15
Por Evannildo de Lima Rodrigues, o Advogado defensor dos direitos socioambientais das minorias

Ao se observar ao longo da história, constata-se que o homem sempre utilizou os recursos naturais do planeta auferidos pelo lucro incessante, gerando resíduos sem “nenhuma preocupação”...

Entretanto, não precisa ser especialista para ver que estamos vivendo um momento crítico na história da Terra. Vive-se numa época em que toda a humanidade deve escolher que futuro quer para seus descendentes...a falta d’água no sudeste brasileiro já está crítico, e o poder público, sem saída, tem tomado decisões drásticas sobre o comportamento das pessoas (físicas) para com o trato com água...se a educação não gera os frutos necessários, a coerção financeira trás seus resultados benéficos para a natureza?

Então, o que seria a qualidade e gestão ambiental? Em primeiro lugar esta temática está direcionado para as empresas, entretanto, para não ficar muito cansativo, esse ponto será tratado em forma de tópicos, para melhor entendimento do assunto: assim, para responder a questão serão apresentados abaixo seus objetivos:

Garantir a satisfação do cliente, através do pleno atendimento aos seus requisitos;

Melhorar continuamente, em equipe, todos os atos e processos na empresa, quanto ao trabalho e à convivência, eficácia dos Sistemas de Gestão, prevenção da poluição através do uso racional de recursos naturais e redução da geração de resíduos;

Oferecer oportunidades de desenvolvimento profissional e pessoal aos seus colaboradores, estimulando sua corresponsabilidade;

Atender aos requisitos legais aplicáveis e demais requisitos subscritos pela organização relacionados aos aspectos ambientais; e

Compor parceria com fornecedores, visando à garantia da qualidade dos produtos fornecidos, comprometimento e responsabilidade ambiental.

No entanto, sabe-se que o mundo empresarial tem se adequado a duas normas internacionais: a ISO 9000, com interesse crescente em melhorar seu desempenho ambiental, para conquistar a certificação pela norma ISO 1401. De modo geral percebe-se uma preocupação geral das empresas pela certificação de qualidade e proteção ambiental.

Com todo o exposto, algumas indagações são pertinentes:

As maiores empresas de Codó/MA, tem esse perfil, digo essa preocupação? Como exemplo, destaco as empresas que extraem recursos minerais para a produção de cimento e gesso, onde resulta em grande desmatamento, e enormes jazidas sem utilidade em nosso território. Um verdadeiro desrespeito à nossa Constituição Federal.

Assim, essas empresas em Codó/MA, tem se adequado para gerir sua produção conforme as exigências ambientais, ou o lucro é seu principal objetivo a qualquer custo?

Só sabemos que com tantas mudanças imprescindíveis na conjuntura econômica e legais, as empresas vêm sendo pressionadas a alterar seus sistemas internos de gestão e, consequentemente, seus processos de produção no sentido de reduzir custos e adequar seus produtos às condições e necessidades ambientais.

Está nítido que existe um grande número de ameaças ambientais no quadro natural e humano em nossa Codó/MA, a qual já vem sofrendo, há anos, com tanto desrespeito aos limites da natureza, e às normas ambientais, e como consequência temos: o aquecimento global da superfície da terra e da camada da atmosfera; a escassez da camada de ozônio; o excesso de consumo dos recursos naturais não renováveis, e a poluição global do ar.

Estes problemas ambientais têm aumentado exponencialmente a poluição, acelerando o esgotamento dos recursos naturais de nossa mata dos cocais e minerais, e como consequência a diminuição da qualidade de vida da população. Neste contexto, quem tem sofrido muito mais são as minorias, que vivem à margem do sistema (os pobres), que vem sofrendo todo o ônus da injustiça socioambiental não somente em nosso Município, mas no Estado e no Brasil.

ALTERNATIVA PARA O CAOS AMBIENTAL EM CODÓ/MA

O principal fator que deve orientar uma ação ambiental responsável por parte dos principais empreendedores/empresários, em nosso município É A RESPONSABILIDADE ÉTICA DE ALTERAR (DESACELERAR) DRASTICAMENTE O ATUAL QUADRO DE DEGRADAÇÃO AMBIENTAL a partir do local, (a exemplo da região Salvaterra-Km 17), que está um caos. Uma Parceria entre empresas locais, poder público e a população seria ideal para o enfrentamento dos riscos ambientais gerados.

Essas ações, em médio e longo prazo, melhoraria a qualidade do meio ambiente, e de toda a população, e porá fim, atenuariam os riscos vivenciados pela comunidade da região, e consequentemente, de todo município de Codó/MA, e entorno.

Outro fator que induz a tomada de decisões em relação aos danos ambientais são as políticas ambientais públicas, que impõem aos empreendedores/empresários no Brasil a responsabilidade civil, penal e administrativa em relação aos impactos ambientais decorrentes de suas atividades econômicas.

Diante dessa afirmação, indaga-se: essas políticas públicas de proteção ambiental estão alcançando os “vilões” ambientais dos empresários em Codó/MA?

Alerta-se, que nossos empresários que agridem o meio ambiente, não estão ilesos dessas responsabilidades. Basta à população se articular, saindo da inércia.

Com todo o exposto, restam as últimas indagações:

As empresas de Codó/MA, tem se adequado às normas ambientais?

O que estas empresas tem feito para a sustentabilidade socioambiental da comunidade pobre em nossa Codó/MA, a exemplo de uma empresa instalada (inadequadamente para os dias atuais), no meio urbano, no bairro Codó Novo, próximo à UPA, que tem gerado vários tipos de poluições, como: liquida, sonora, gasosa e odores terríveis, que tem gerado transtornos à saúde das pessoas do entorno, de acordo com os reclames da população. 

Qual a empresa que se destaca em degradar nossos recursos naturais, e diminuindo a qualidade ambiental de nosso território demonstrando nenhuma preocupação com os resultados à natureza, e à comunidade?

Quem são os vilões dessa triste realidade? As empresas omissas ou a comunidade inerte?

A qualidade e gestão ambiental no território codoense necessitam da participação de todas as classes unidades em prol dessa bandeira.

0 comentários:

Postar um comentário