JUVENTUDE OU ESPORTE - Nome de Adelmo Soares continua cotadíssimo para assumir Secretaria no governo Flávio Dino

22.10.14
Adelmo Soares tem a seu favor a amizade com o governador eleito
Importantes fontes ligadas ao grupo do governador eleito, Flávio Dino, garantem que o nome do vereador Adelmo Soares continua forte para assumir uma secretaria estadual.

De acordo com essas fontes, Adelmo pode ser secretário da Juventude ou de Esporte, que é o mais provável.

A titularidade de alguma secretaria extraordinária também não está descartada, haja vista que o nome do vereador caxiense continua em alta na capital.

Coincidência ou não, o vereador foi chamado nesta quarta-feira, 22, para um encontro com o deputado estadual eleito, Humberto Coutinho em São Luís.

Embora alguns aliados de Adelmo Soares garantirem que sua nomeação não passaria pelo crivo de HC, é praticamente impossível que isso aconteça, pois é do deputado eleito a única possibilidade do vereador galgar esse importante degrau na sua vida pública.

Debate

Por Edson Vidigal, advogado, professor e ex-ministro do STJ

Candidato, estamos numa fase de muito calor e pouca água. Você poderia me explicar o que significa a influencia do rabo do peixe no movimento da agua, que consta do seu programa de governo?

Candidata, a senhora se leu não entendeu nada. Eu não governo o Brasil. Ainda. Governei um modesto Estado que incidentalmente entrou num samba do Noel. E por falar em Noel, candidata, poderia explicar para o Brasil esse seu PAC das crianças?

Candidato, você parece que nunca foi criança. O dia da criança é o dia da mãe, do pai e das professoras, mas também é o dia dos animais. Sempre que você olha uma criança, há sempre uma figura oculta, que é um cachorro atrás, o que é algo muito importante.

Obrigado, candidata. Entendi. Agora eu pergunto. No seu Governo a lei Maria da Penha será flexibilizada para inibir a violência domestica também entre os casais homo afetivos?

Candidato, você é muito engraçado. Você sabe que não fiz faculdade de 
Direito, até porque meu pai era engenheiro. E o sonho dele era me ver de macacão e capacete subindo nos postes quando durante a chuva pintasse um apagão no bairro. Mas o seu avô foi do Ministério Público, candidato. Pensa que eu não sei...

Candidata, a senhora não respondeu a minha pergunta. Insiste na mesma leviandade dos ataques pessoais. As pessoas que estão nos assistindo não querem saber de ataques, candidata. Querem saber o que temos a lhes oferecer e ao País nos próximos quatro anos. Vamos falar de mobilidade urbana, de ciclovias, de redução dos gases no transito. Qual a sua proposta, candidata?

Candidato, eu já fiz obras das mais variadas, desde obras da mobilidade urbana, como é a solução ali do Largo do Abacaxi, da via do Abacaxi, rótula do Abacaxi, que virou, segundo eles, quando eu fui lá inaugurar uma rota diferente, uma rótula diferente, a rótula do Quiabo, a rótula que sai Abacaxi tranca e o quiabo flui. Vou fazer o PAC da Monark, da Caloi, da Gulliver e agora tem umas elétricas aí que o BNDES vai financiar. E o senhor, candidato, vai mandar fechar as fábricas de bafômetros?

Candidata, lá vem a senhora outra vez com as suas leviandades. Não me desconstrua que não sou Harry. A Oposição quer saber onde a senhora escondeu aquele cão labrador lhe serviu de mascote na sua primeira campanha. A Oposição quer saber, afinal, quem é verdadeiro dono do cão que a senhora despejou do Palácio da Alvorada. Foi exilado no Torto ou na Papuda? Afinal, a senhora, candidata, sabe ou não sabe que houve um rombo?

Candidato, o senhor é muito do ousado. Qual é rombo? Eu vou dizer qual é o rombo. Eu quero saber o que há. Eu não sei o que há ou sei? Não sei. O senhor sabe o que há? Vou fazer só um raciocínio – como vocês e os jornalistas da Oposição sempre sabem tudo primeiro do que eu, como eu não sei o que há. Nosso País precisa também, candidato, de ter um compromisso com aqueles que desviam dinheiro público.

Candidata, não entendi que compromisso é esse. A senhora tem certeza do que está dizendo?

Candidato, quem é contra ter um compromisso com os que desviam dinheiro público? Só se for o senhor.

Candidata, a senhora se expressa mal. Fala sem pensar. E confunde Oludum com Astro de Ogum, que está na bica para assumir o trono de La Ravardiere.  Eu pelo menos nem falo tudo o que penso. Mas senhora, candidata...

Candidato, meu querido...

(êpa, êpa, êpa! Ainda tem criança na sala? Retirem as crianças da sala, por favor! / Ama com fé e orgulho a terra em que nasceste / Criança, não verás País nenhum como este! - Olavo Bilac).

Fábio Gentil protesta contra o “abono mixaria” de Léo Coutinho e defende trabalhadores do município

Vereador Fábio Gentil na defesa de salários 
dignos aos servidores municipais
O vereador Fábio Gentil subiu na tribuna da Câmara nesta segunda-feira, 20, para protestar sobre o valor irrisório do recente abono concedido pelo prefeito Léo Coutinho aos professores do município.

É uma vergonha, um professor de Viana, cidade de menos de 50 mil habitantes receber R$ 3 mil reais de abono, e em Caxias esse valor é de apenas um terço desse valor”, disse o vereador ressaltando que na pequena Viana, “os professores com duas matrículas receberam o abono dobrado”.

A crítica de Fábio Gentil veio em boa hora, pois o assunto do abono irrisório recebido pelos professores caxienses, “revolta toda a categoria”.

Ao final da sessão, Fábio Gentil falou com o titular do blog e disse que existia apenas uma pessoa aparentemente contente com o “abono mixaria”, “a professora que está nos out-doors da Prefeitura”.

O parlamentar oposicionista também abordou que melhor seria, “se esse abono fosse incorporado aos salários”.

Ainda tratando do funcionalismo municipal, Fábio lamentou que os agentes de saúde de Caxias, assim como os guardas municipais, “estão há 6 anos sem aumento salarial”. “É revoltante que estejam durante tanto tempo buscando seus direitos e o prefeito não atende alegando que não tem recursos”, disse.

Os técnicos de raio X da rede pública de saúde, que fazem um trabalho delicado, também foram defendidos por FG. “Eles trabalham em locais onde estão expostos a radiação e não recebem salubridade e nem adicional noturno, assim também como os vigias da Prefeitura, que também não recebem adicional noturno”, revelou o vereador.

Neto do Sindicato empenhado na campanha de Dilma Rousseff em Caxias

Vereador Neto do Sindicato
O vereador Neto do Sindicato registrou nesta segunda-feira, 20, durante sessão da Câmara, a realização de uma grande reunião realizada no auditório do poder legislativo de Caxias em que foram discutidas ações de campanha com vistas a mais uma vitória da candidata Dilma Rousseff (PT) nas eleições do próximo domingo.

Neste segundo turno iremos aumentar a votação da presidente Dilma no município”, espera o parlamentar.

Sobre a reunião, Neto do Sindicato agradeceu a presença de militantes, políticos, inclusive alguns vereadores locais e empresários na reunião pró-Dilma. “O auditório desta Casa foi pequeno para receber tanta gente disposta a colaborar com a reeleição da presidente Dilma”, declarou Neto entusiasmado com os rumos da campanha petista em Caxias.

Vários carros de som da candidata a presidente pelo PT estão circulando em Caxias e alguns militantes estão distribuindo material de campanha nas ruas.

De acordo com o vereador caxiense, o mesmo trabalho está sendo feito também na zona rural. “Estamos percorrendo os povoados da zona rural buscando esclarecer a importância da reeleição da presidente Dilma”, disse o vereador que enumerou as conquistas obtidas ao longo do governo do PT.

Pelas pessoas que conseguiram ascender socialmente, das pessoas que saíram da linha da pobreza e de muitas outras conquistas adquiridas, vamos à luta pela vitória da presidente Dilma”.

Já limpou a ficha? Vereador Adelmo Soares se insinua como futuro secretário estadual de Esportes e aliados garantem que o cargo será a garantia de sua eleição de deputado em 2018

21.10.14
Matéria promocional de Adelmo 
‘nomeando-o’ secretário de Esportes
Quando foi revelado que o vereador de Caxias, Adelmo Soares estava na lista do TCU como ficha suja, devido ao processo 023.970/2009-9, em que ele, juntamente com o ex-prefeito de Sítio Novo, João Alfredo do Nascimento e Maria Alda Pereira Marinho, foram condenados pelo ministro José Múcio Monteiro, relator do processo, devido “a não comprovação da regular aplicação dos recursos de convênio importa no julgamento pela irregularidade das contas do responsável, com condenação em débito e aplicação de multa”, diz trecho do acórdão 6174/2011, o assunto dominou o noticiário de blogs e portais de notícia ainda no início da campanha do primeiro turno.

Coordenador da campanha de Flávio Dino em algumas cidades da região leste, o fato de ser ficha suja foi um prato cheio para vários veículos de comunicação e o nome do vereador caxiense foi destaque durante vários dias. 

Na semana passada, um importante blog da capital noticiou que Adelmo Soares era cotado para ser o futuro secretário de Esportes do governo do Estado. A matéria, totalmente promocional, praticamente ‘nomeava’ o vereador caxiense no cargo.

A Constituição do Estado do Maranhão proíbe que condenados nos tribunais de contas, do Estado e também da União, possam assumir cargos públicos.

No entanto, nos últimos dias o vereador Adelmo tem dito a correligionários em Caxias que já havia resolvido a pendência junto ao TCU e que estava apto a ocupar qualquer cargo público no âmbito do governo estadual, pois sua ficha já estava totalmente higienizada.

Quanto a postagem publicada em um blog da capital, AS deu uma de “joão sem  braço” e chegou a comentar para alguns correligionários que a matéria queria na verdade era lhe “queimar”.

Procurei no site do TCU alguma movimentação recente no processo 023.970/2009-9 e não encontrei nada que tenha mudado a decisão daquele Tribunal datada de 09 de agosto de 2011.

Espero, sinceramente, que o vereador Adelmo tenha sucesso na tentativa de virar secretário de Estado, afinal, será um orgulho para Caxias ter um representante em tão importante pasta do governo do MA.

Mas, para que isso aconteça, sua ficha deve passar por uma rigorosa assepsia, pois, caso Flávio Dino anuncie alguém com pendências no prontuário, pode sofrer o primeiro bombardeio na formação de sua equipe de governo.

Suposta nomeação de Adelmo NÃO passaria pelo crivo de Humberto Coutinho, garantem amigos do vereador

Alguns amigos do vereador caxiense Adelmo Soares já dão como favas contadas sua nomeação como secretário estadual de Esportes. De acordo com esses aliados, essa nomeação não passaria pelo crivo do deputado Humberto Coutinho. “O Adelmo tem uma amizade sólida com o Flávio Dino e sua nomeação é da cota pessoal do governador, não passando pela concordância de HC”, confidenciou-me um grande amigo do vereador garantindo que a nomeação de Soares já era fato consumado.

Passaporte para a Assembleia em 2018

Continuando meu diálogo com o amigo do vereador caxiense, o mesmo mostrou-se animado com a iminente nomeação de Adelmo, pois isso praticamente garantia uma cadeira na Assembleia em 2018.

O Adelmo é amigo pessoal do governador e certamente terá liberdade e apoio para realizar um grande trabalho na área do esporte no Maranhão, o que garantirá visibilidade e servirá como um passaporte para a eleição de 2018”, prevê o aliado de AS confiante no carisma e na grande gestão que o mesmo fará como secretário de Estado.

Mário Assunção sai na frente e deflagra início das discussões sobre eleição da Mesa Diretora da Câmara: “Sou candidato a presidente”.

Mário Assunção de olho na presidência da Câmara
O líder do governo na Câmara Municipal de Caxias, Mário Assunção, deu início na noite desta segunda-feira, 20, as discussões sobre a eleição da Mesa Diretora do legislativo caxiense.

Num discurso contundente, Mário resgatou todo o histórico de mudanças ocorridas no Maranhão que, segundo ele, “começaram ainda na eleição da Assembleia Legislativa em 2011, quando a governadora Roseana Sarney quis impor seu cunhado, Ricardo Murad, e os deputados não aceitaram e elegeram Arnaldo Melo como presidente”.

Pegando esse gancho, o líder do governo continuou com sua explanação sobre as mudanças que se sucederam até a eleição de Flávio Dino no último dia 05 e em seguida passou a tratar da questão doméstica que já toma de conta das conversas de bastidores.

Fui procurado por alguns vereadores que me pediram para apresentar meu nome para presidir esta Casa e me coloco como candidato do grupo”, disse Mário Assunção que garantiu que irá iniciar um projeto de discussão sobre o tema com seu grupo político.

Presente na sessão, Ana Lúcia ouvia o colega que cobiça sua cadeira de presidente com olhar fixo no ocupante da tribuna.

Fazendo o discurso da boa vizinhança, o líder governista mostrou habilidade ao elogiar a gestão da atual presidente e enalteceu suas ações ao longo do período no cargo, não deixando espaço para aborrecimentos ou fissuras na relação entre a base coutinhiana no parlamento.

Apesar da aparente respeitabilidade entre o postulante ao cargo de presidente e a atual ocupante, a guerra de bastidores foi deflagrada com Mário Assunção assumindo a dianteira logo na saída.

Mesmo estando no primeiro mandato, Mário é bastante influente entre os seus pares. Além dessa influência, seu vasto conhecimento em administração, projetos, educação e medicina veterinária (é formada na área) lhe garantem um entendimento vasto em diversos assuntos.

A amizade e a confiança que possui junto ao prefeito Léo e ao ex Humberto Coutinho também ajudam na sua empreitada.

Não lembro de ter presenciado nas últimas legislaturas um líder de governo tão influente e tão respeitado pelos colegas.

Analistas políticos de várias correntes acreditam que Mário Assunção reúne as condições políticas e técnicas para conduzir a contento a próxima legislatura.

O assunto da eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Caxias domina a partir de agora todo o noticiário político de Caxias.

Perdeu as estribeiras – Vereador Jerônimo solta cobras e lagartos em Paulo Marinho e confessa que passou cheque sem fundos: “Faltou a nota fiscal do serviço”, justificou

Vereador Jerônimo leu matérias de jornal 
com condenações contra Paulo Marinho
A sessão da Câmara Municipal de Caxias desta segunda-feira, 20, literalmente, pegou fogo. O responsável pelo ‘incêndio’ no parlamento caxiense foi o vereador Jerônimo Ferreira.

Fazendo um discurso forte contra o ex-deputado e ex-prefeito Paulo Marinho, o ‘incendiário’ Jerônimo carregou nos adjetivos nada elogiosos ao chefe do grupo opositor.

Ladrão, ladrão, ladrão”, gritou Jerônimo várias vezes durante seu discurso que foi todo centrado nas condenações de Paulo Marinho na Justiça.

Ele foi condenado pela venda ilegal das ações da Cemar e também da Petrobras”, dizia o parlamentar ultra governista lendo uma edição do Jornal Pequeno com reportagens sobre as condenações.

Sabendo que iria sofrer represálias dos meios de comunicação do ex-deputado, Jerônimo disse que estava tranquilo em relação a isso. “Sei que amanhã eu serei agredido pelas emissoras dele [Paulo Marinho], mas eu não ligo pra isso”, comentou Ferreira.

Em outra parte do discurso, o vereador discorreu sobre as insinuações levantadas em sessões anteriores pela vereadora Benvinda Almeida sobre um membro do legislativo caxiense que teria passado um cheque sem fundos em São Luís. “Fui eu”, afirmou Jerônimo que, num tom igualmente agressivo contra Benvinda, explicou-se dizendo que o ‘borrachudo’ era dele, mas não como pessoa física, e sim como pessoa jurídica. “O cheque é de uma entidade que eu represento, mas não foi pago integralmente porque o proprietário da empresa se recusa a emitir nota fiscal do serviço e por isso eu não pago, pois ele é um sonegador de impostos”, disse o vereador num surto de honestidade na tribuna da Câmara que deve ter feito inveja ao escritor e ex-senador Rui Barbosa, um dos mais honrados e honestos parlamentares que o Brasil já teve.

Como tem sido uma característica do vereador governista, ele não concedeu apartes à colega Benvinda Almeida que, mesmo assim, tentou, em vão, se defender dos ataques de Jerônimo.

Um intenso bate-boca entre os dois foi travado sem que Benvinda conseguisse autorização para falar, no que deixou o debate com apenas uma versão dos fatos.

Luzes no imbróglio

O cheque sem fundos em questão, no valor de R$ 20 mil reais, foi emitido pela Federação das Apaes no Maranhão, cujo presidente é o vereador caxiense Jerônimo Ferreira para cobrir despesas de um encontro ocorrido em São Luís.

A empresa que recebeu o borrachudo é a Equipar Eventos, que trabalha com sonorização e telões em festas e eventos em geral e tem o empresário Fábio Silva, neto do comendador Alderico Silva, como proprietário.

Jerônimo Ferreira alegou no seu discurso na Câmara que já chegou a quitar uma boa parte do referido cheque, mas que só pagará o restante mediante apresentação de nota fiscal dos serviços, pois ele garante que não compactua com sonegador de impostos.

O passado

O vereador Jerônimo Ferreira tem se notabilizado nesse seu primeiro mandato como um ferrenho opositor da família Marinho.

Antes de ser detentor de um mandato, o hoje vereador governista também se notabilizava como sendo um aliado da família Marinho de primeira hora.

Não sei o que se passou na relação entre Jerônimo e o clã Marinho, mas, mesmo sendo políticos que não possuem mandato há um bom tempo, o crescente combate do parlamentar governista mostra-se inócuo, haja vista que não faz sentido combater um adversário que não oferece perigo, pois não possui mandato e nem tem prognóstico de ter, haja vista que as constantes condenações o impedem de voltar a vida pública num curto espaço de tempo.

Câmara Municipal de Caxias: baixa produtividade e falta de quórum tem marcado atual gestão

20.10.14
O caxiense tem presenciado ao longo dos últimos 2 anos uma apatia cada vez maior da Câmara Municipal de Caxias.

Sem grandes projetos, ou com projetos que nunca saem do papel, a atual legislatura tem se destacado como a mais inoperante das últimas décadas.

Câmara Municipal de Caxias: apenas um retrato de 
um tempo em que era um centro de grandes 
decisões no município
Majoritariamente governista, nem isso tem ajudado a atual administração municipal de ser alvo de críticas contundentes da minoria oposicionista, que tem, literalmente, trucidado o governo Léo Coutinho nas sessões.

Praticamente todos os vereadores que compõem o legislativo local reclamam da condução dos trabalhos na Casa do Povo.

Mas entre todas as reclamações, e que tem sido uma marca da atual legislatura, a falta de quórum mostra o desinteresse dos vereadores em discutir políticas públicas para o bem-estar da comunidade.

E essa constante falta de quórum para realização de sessões ordinárias tem desgastado a imagem da Câmara como um todo.

Parece que não existe um interesse orgânico do Poder Legislativo local para preservar o respeito dos caxienses pela vereança.

Sem se aperceberem, os vereadores, na sua totalidade, estão sendo vítimas da atual legislatura que não tem correspondido aos anseios do público em geral.

Estão num barco que pode estar indo a deriva e não estão se dando conta de que está entrando água na embarcação.

Quando sentirem a água chegando no pescoço, já pode ser muito tarde para salvarem suas cabeças.

Ao dar sua versão sobre reportagem veiculada nacionalmente pela Band, prefeito Léo Coutinho usa linguagem rasteira para rebater acusações

19.10.14
Prefeito de Caxias tenta politizar um assunto 
delicado, que é a morte de crianças
Espera-se de um detentor de um importante cargo público serenidade, respeito e seriedade na condução da sua gestão.

O prefeito de Caxias, Léo Coutinho, enterrou todas essas recomendações republicanas no episódio, divulgado nacionalmente, da alta taxa de mortalidade neonatal registrada no Hospital Carmosina Coutinho, ao divulgar uma nota sobre o caso.

Iniciando o texto de forma respeitosa, como deve ser, e com dados técnicos a respeito da real incidência de casos de óbito no referido centro de saúde, o prefeito de Caxias chega a dar indícios de que tem preparo para o cargo.

Mas, no último parágrafo da nota, o jovem advogado joga por terra toda a seriedade do que ele tenta explicar, referindo-se a afiliada local da Band de forma pejorativa e deselegante ao falar do funcionamento da emissora caxiense confundindo o trabalho dos profissionais da empresa com a extensa e nada elogiável ficha do proprietário.

A propósito, a TV Band Caxias é de propriedade do Sr. Paulo Marinho, ex-deputado federal cassado por corrupção e que responde a mais de 300 processos nas esferas cíveis, criminais, trabalhistas e da família, tanto na justiça estadual como na federal, e acaba de perder a sétima eleição consecutiva na cidade”, diz Léo Coutinho querendo politizar um episódio que refere a morte de crianças.Aqui em Caxias existe um ditado “de Olho no óleo, de olho na Band”- referencia jocosa ao fato da emissora trabalhar com gerador a diesel, visto que teve a energia cortada pela concessionária elétrica com dívidas superiores a 1 milhão de reais, continua Léo Coutinho tentando fazer graça e conseguir seu objetivo junto a TV Band nacional que é a realização de outra reportagem feita por jornalistas de São Paulo.

Encerrando a tal nota, Léo Coutinho diz que Paulo Marinho é seu inimigo e por isso nada do que sua emissora divulga, merece credibilidade. Como meu inimigo, as matérias de sua TV servem apenas para lançar calúnias sobre a atual administração de Caxias”.

Ouvi uma entrevista do secretário de Saúde do município de Caxias, Vinicius Araújo, na emissora oficial da Prefeitura. Sua explicação merece ser levada em conta e, realmente, possui elementos que esclarecem a versão oficial de que a matéria veiculada nacionalmente pela TV Band foi, no mínimo, sensacionalista.

Abaixo, a nota do prefeito de Caxias, Léo Coutinho:

À REDE DE COMUNICAÇÃO BANDEIRANTES TV BAND

At. Senhor Diretor de Redação do Jornal da Band

Prezado Senhor,

No dia 17 de Outubro de 2014, o Jornal da Band replicou matéria da sua afiliada na cidade de Caxias, a TV Band Caxias, com violentas afrontas à verdade sobre a realidade da mortalidade neonatal no município de Caxias
A falta de checagem das informações veiculadas e ausência de qualquer cotejamento com as autoridades municipais sobre os fatos divulgados, negando assim ouvir o “outro lado da notícia”, constitui a nosso ver agressão deliberada à liberdade de imprensa e consequentemente de informação.

Aos fatos:

O jornal da Band informou que “a cada três bebês que nascem na maternidade de Caxias, um morre. Já são 115 vítimas desde o inicio do ano. As mães acusam os médicos de negligencia”. Nada mais falso, estes são os dados verdadeiros: De janeiro de 2014 até o dia 17/10/2014, foram realizados 2.501 (dois mil, quinhentos e um) partos, sendo 1345 (mil, trezentos e quarenta e cinco) partos normais (946 de residentes em Caxias e 399 residentes em outros municípios) e 1156 (mil, cento e cinquenta e seis) partos cesáreos (766 residentes em Caxias e 390 residentes em outros municípios).

De 1712 (mil, setecentos e doze) nascimentos ocorridos em Caxias até a presente data na Maternidade Carmosina Coutinho, ocorreram 24 óbitos neonatais, resultando em um índice de mortalidade de 1,4 % ou 14 mortes a cada 1000 nascimentos. Já com relação a gestantes oriundas de outros dos 48 municípios atendidos, em 789 nascimentos ocorridos até a presente data, foram registrados 65 óbitos neonatais, resultando em um índice de mortalidade de 8,2% ou 82 mortes a cada 1000 nascimentos.

As mães residentes em Caxias recebem atendimento pré-natal na mais completa rede pública de assistência à saúde do Maranhão, enquanto as mães que vêm de outros 47 municípios nem sempre recebem estes cuidados, resultando talvez, entre outras as razões para tal alto índice de mortalidade neonatal, mesmo assim ficando com distancia abissal “de cada três que nascem morre um” , o que daria assim justificativa para a manchete sensacionalista e descolada da realidade veiculada pelo Jornal da Band.

Mesmo considerando 115 mortes neonatais, seriam apenas 4,59% do total de 2.501 partos realizados e não a “tragédia” de 33% (um morto em cada três nascimentos) anunciada pelo Jornal da Band.

A propósito, se tal informação fosse verdadeira, o Ministério da Saúde já teria fechado a Maternidade Carmosina Coutinho, como fez ano passado com a maternidade Marly Sarney em São Luís. Ao contrário, a maternidade caxiense é paradigma de atendimento e qualidade neonatal, como atesta os prêmios recebidos e que podem ser checados in loco por equipe da TV Band São Paulo, já que a TV Band Caxias não tem qualquer credibilidade em Caxias.

A propósito, a TV Band Caxias é de propriedade do Sr. Paulo Marinho, ex-deputado federal cassado por corrupção e que responde a mais de 300 processos nas esferas cíveis, criminais, trabalhistas e da família, tanto na justiça estadual como na federal, e acaba de perder a sétima eleição consecutiva na cidade. Aqui em Caxias existe um ditado “de Olho no óleo, de olho na Band”- referencia jocosa ao fato da emissora trabalhar com gerador a diesel, visto que teve a energia cortada pela concessionária elétrica com dívidas superiores a 1 milhão de reais. Como meu inimigo, as matérias de sua TV servem apenas para lançar calúnias sobre a atual administração de Caxias.
Convido V.Sas. Enviar equipe de sua TV para que possamos demonstrar que as informações divulgadas são absolutamente falsas e que podemos provar o que afirmamos acima.

Caxias, 18 de outubro de 2014

Leonardo Barroso Coutinho
Prefeito Municipal de Caxias

Bastidores & bastidores

Movimentação
Os vereadores de Caxias voltaram a ativa. Embora continuem ‘trabalhando’ apenas uma vez na semana, os edis estão até discursando nas sessões.

Doril
Quem tomou um chá de sumiço desde o resultado das urnas foi o vereador Jerônimo Ferreira. O parlamentar não tem sido visto com a mesma assiduidade de outrora.

Desmotivado
As más línguas dizem que Jerônimo se recolheu após o desfecho das urnas no último dia 05, quando seu candidato a deputado federal, Waldir Maranhão, obteve cerca de 500 votos em Caxias, ficando com menos da metade da metade da metade que o Feliciano do Bombom.

Boa de voto
Quem surpreendeu em Caxias foi a candidata a deputada estadual Ana do Gás. Apoiada pela vereadora Benvinda Almeida, não se viam cartazes ou carros de som na cidade divulgando a sua campanha. Aberta as urnas, Ana do Gás obteve mais de 700 votos em solo caxiense. Campanha silenciosa e de resultados.

Taniery no apoio a Aécio
A vereadora Taniery Cantalice está empenhada no apoio a candidatura de Aécio Neves em Caxias. Material de divulgação do candidato está sendo distribuído por ela. Os interessados devem dirigir-se ao seu gabinete na Câmara Municipal.

Ascensão
É latente o crescimento da candidatura de Aécio Neves em Caxias. Empresários, profissionais liberais e políticos estão se mobilizando para ajudarem o candidato do PSDB nas eleições do próximo domingo.

Amigo da onça
Membro destacado do PSDB no Maranhão, o deputado eleito João Castelo, tem no diretório do partido em Caxias, controle total das ações. Apesar disso, Castelo não enviou até agora um mísero carro de som para ajudar Aécio Neves na princesa do sertão. Com um amigo desses...

Silêncio
Mesmo após o blog cobrar um posicionamento de Léo e Humberto Coutinho sobre o segundo turno das eleições, até agora nenhum dos dois conseguiu sinal verde para dar qualquer declaração. Perdendo a capacidade de pensar política desde a volta do marqueteiro Carlos Alberto, os dois esperam as ordens do guru para qualquer gesto relativo a eleição do dia 26.

Boquinha
O que tem de aliado de Humberto Coutinho em Caxias sonhando com algum ‘pedaço’ do governo do Estado não é brincadeira. Uns querem coisa grande, a nível estadual, já outros, menos sedentos, estão de olho em algo aqui mesmo em Caxias.

Jóia rara
O olho gordo dos correligionários de HC está no Ciretran de Caxias. Tem aliado que já se intitula diretor do órgão no município.

Borrachudo
Muita gente em Caxias está curiosa para saber quem passou um cheque sem fundos na capital no valor de R$ 20 mil reais. É que o empresário que está com o borrachudo já teria denunciado o caso até na Polícia Federal. Haja curiosidade...