Entrega de escola reformada no povoado Caxirimbu norteia discussões na Câmara Municipal

21.8.19

O Governo do Estado entregou a reforma do Centro de Ensino Professora Maria do Carmo Bezerra Paiva

O Governo do Estado entregou, na manhã dessa segunda-feira (19), a reforma do Centro de Ensino Professora Maria do Carmo Bezerra Paiva, que fica localizado no povoado Caxirimbu. A inauguração norteou as discussões na sessão ordinária da Câmara de Vereadores.

Repórter Puliça (PRB) relatou que fez cobertura da entrega da obra e que, na oportunidade, observou a presença dos deputados estaduais Zé Gentil (PRB), Cleide Coutinho (PDT) e Adelmo Soares (PC do B), parabenizando-os e torcendo que continuem unidos em benefício do povo de Caxias.

O vereador Jerônimo (PMN) também acompanhou a reinauguração da unidade escolar, quarta escola digna entregue pelo Governo do Estado, e destacou a presença dos três deputados estaduais e do secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, este contemplado com um título de cidadania caxiense na Câmara Municipal.

Ramos (SD) parabenizou o governador Flávio Dino (PC do B), na pessoa do secretário Felipe Camarão, pela obra. O parlamentar reforçou a união dos três deputados em prol do município.

Para a líder da oposição, Thaís Coutinho (PSB), ?a escola é digna para o povo de Caxias. Uma escola com uma boa estrutura estimula os professores e os alunos?. Ela agradeceu ao governador, a presença do secretário Felipe Camarão, e afirmou que a obra partiu de um pedido da deputada Cleide Coutinho.

Segundo Edilson Martins (PSDB), “a escola é para as crianças que são dignas”. Ele parabenizou o governador pela atitude, atendendo ao pedido de Cleide Coutinho. “Isso serve de exemplo para que eles [Zé Gentil, Adelmo e prefeito Fábio Gentil (PRB)] se irmanem e pensem na nossa educação a nível municipal que se espelhe no Estado”, declarou.

"Realmente foi uma obra importante para aquela comunidade e adjacências", avaliou o vereador Magno Magalhães (PSD).

Luís Carlos (PMDB) disse que “em política tudo é momento”. O vereador frisou que, além dos deputados e do secretário estadual, o prefeito tem que ser parabenizado, “pois no momento ele é o gestor e sabemos que força política ele tem; ele e a secretária de Educação também estão preocupados com a educação”.

“Hoje, pela primeira vez, pude constatar a nomenclatura usada para esse programa; ela condiz com a escola que fomos inaugurar, porque as anteriores não tem nada de dignidade. Uma escola onde o aluno tem todo o conforto”, comentou o vereador Ximenes (PR), reforçando o título de cidadão caxiense recebido por Felipe Camarão.

O líder do governo, Sargento Moisés (PSD), parabenizou Felipe Camarão pelo trabalho que está fazendo à frente da Secretaria de Estado da Educação, a exemplo da reinauguração da escola no Caxirimbu, “tanto é que recebeu o título de cidadão caxiense”.

O presidente da Câmara, vereador Catulé (PRB), destacou os investimentos do governo estadual na zona rural de Caxias nas gestões de João Castelo, Zé Reinaldo e agora com Flávio Dino, “no setor de educação este vem pontuando mais forte ainda”. (Da assessoria)

Mesmo convidada, vereadora Thais Coutinho não comparece em licitação que tentou transformar em escândalo

20.8.19
Muito barulho por nada: alardeando a existência de “um roubo” em licitação, e para não
pagar mais um mico, vereadora não compareceu para apurar o que havia denunciado

Depois de protagonizar um ridículo papel na sessão legislativa de 27 de maio deste ano (reveja aqui), onde fez um discurso sem pé nem cabeça sobre licitação da Prefeitura de Caxias para contratação de uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) para gestão de mão-de-obra médica complementar e demais profissionais do setor de saúde, a vereadora Thais Coutinho, que dissera naquela memorável sessão que o governo Fábio Gentil queria fazer o certame “na surdina”, mas que devido a sua atuação a mesma não iria acontecer (“mas eu descobri e não deixo”), a vereadora simplesmente não deu o ar de sua graça na sessão realizada nesta segunda-feira, (19).

Tendo bradado em maio que a referida licitação para contratação da OSCIP “seria um roubo” e que até teria ficado feliz diante da constatação de que os colegas de parlamento não sabiam da realização do que ela tratou como escândalo, “fico feliz porque os vereadores não sabiam, porque quando eu falei sobre essa licitação, sobre esse roubo que ia ter, eles não sabiam...”, empolgou-se a parlamentar com a clara intenção de querer dar ares de escândalo para uma contratação normal da administração pública, mas que diante da sua ausência para algo que tomou como muito grave, deixa seus eleitores decepcionados, uma vez que alguns acreditaram nas suas ‘denúncias’

Devido a problemas no edital da licitação realizado em maio, a Comissão Central de Licitação adiou a realização da chamada pública para esta segunda-feira, 19, para adequação do mesmo e para dar mais publicidade ao certame, que além da divulgação espalhafatosa da vereadora oposicionista, foi publicado no endereço eletrônico da Prefeitura de Caxias e também no Diário Oficial da União, bem como foi formalizado convite para os 19 vereadores do município para que os mesmos comparecessem, numa clara demonstração de total lisura no processo.

Apesar dos cuidados do presidente da licitação para afastar qualquer dúvida sobre os procedimentos adotados, e abrindo os trabalhos da sessão com 50 minutos de atraso, a vereadora que em maio disse que descobriu “esse roubo” e não iria deixar o mesmo acontecer, simplesmente não deu sequencia ao seu ridículo papel de tentar descobrir algo que ela chamou de “escândalo” no governo Fábio Gentil.

Apesar da ‘líder’ da oposição no parlamento caxiense ter suas limitações para entender um simples e transparente processo de licitação, ela é oriunda de família abastada da cidade, onde a contratação de um profissional com um mínimo de conhecimento jurídico não seria algo tão difícil e poderia lhe ajudar a não protagonizar situações que lhe levam constantemente ao ridículo.

Vereadores caxienses fazem reunião sigilosa e teor da conversa desperta curiosidade

19.8.19
Após insistência dos blogueiros presentes na Câmara, assessoria de imprensa se limitou
a disponibilizar apenas fotos da reunião

Treze vereadores da bancada governista estiveram reunidos por mais de três horas na sala de reuniões da Presidência da Câmara Municipal de Caxias, na tarde desta segunda-feira, 19. Em que pese a demora, até o momento nada do que trataram foi revelado, gerando as mais diversas especulações sobre o que conversaram os edis da situação.

A reunião começou por volta das 15 horas, com a presença do presidente Catulé (PRB), e mais os vereadores Mário Assunção (PPS), Antonio Ximenes (PR), Neto do Sindicato (PCdoB), Repórter Puliça (PRB), Darlan Almeida (PHS), Gentil Cantanhede (PSL), Magno Magalhães (PSD), Antonio Ramos (SD), Luís Carlos (MDB), Paulo Simão (DEM) e Sargento Moisés (PSD).

Para que tal reunião tenha ocorrido em caráter tão sigiloso, alguma coisa está acontecendo nos bastidores da política caxiense. Não se sabe ainda o que está incomodando os vereadores situacionistas. Mas boa coisa não é, dado que preferem o silêncio a dar qualquer pista sobre o que conversaram ou discutiram ao longo desse encontro.

Momentos depois de encerrada a reunião, toda a bancada presente ao encontro compareceu normalmente no plenário, participando ativamente da sessão ordinária desta segunda-feira.

Centenas de caxienses aprendem a impulsionar vendas no comércio local em palestra com Ciro Bottini em Caxias

18.8.19

Um grande público composto de empresários, políticos, empreendedores individuais, vendedores, estudantes, curiosos, além de potenciais empreendedores, compareceu ao estacionamento do Caxias Shopping Center para conferir a palestra de um dos maiores comunicadores do Brasil. Trata-se do paulista que reside no Rio de Janeiro, apresentador e empresário que, no auge dos seus 53 anos, continua vendendo, vendendo e vendendo: Ciro Bottini. Aliás, esse foi o título da palestra: “Vender, vender, vender!”.

“Uma palestra muito boa, muito proveitosa, motivando a gente a vender mais”, destacou Ribamar Rodrigues, estudante de Jornalismo.

“Muito bom porque ele está ensinando técnicas para facilitar as vendas”, lembrou Sabrina Silva, estudante de Jornalismo.

“Era tudo que o comércio de Caxias precisava! Mais alegria, mais vibração, mais energia na hora de atender o cliente, e o Bottini trouxe tudo isso”, afirmou Carlos Alberto, espectador.

De forma interativa e com distribuição de prêmios em dinheiro, Ciro Bottini envolveu o público em brincadeiras que foram parte de suas estratégias para ensinar a vender, a encantar o cliente, além de compartilhar os gatilhos mentais capazes de motivar o empresário e o vendedor diante do contexto adverso da economia.

“Ajuda muito a gente chegar no outro dia e vender, vender e vender, como ele disse” frisou Isa Machado, empresário.

“Minha mãe tem uma loja no Centro de Caxias e eu trabalho com ela, então hoje mesmo amamentando eu fiz questão de vir”, disse Ellen Lorena, vendedora.

“O que mais me chama atenção nele é a alegria para conquistar o cliente”, disse Bonfim, empresário.

Depois de quase duas horas de apresentação, todos saíram animados, felizes e prontos para “vender, vender e vender”. O evento foi promovido pela Prefeitura de Caxias, por meio da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio, com direito a certificado.

“Realmente Caxias estava precisando disso, impulsiona o comércio local. É um profissional que nos incentiva a conhecer a venda, o cliente e nos faz vender tudo. O prefeito está de parabéns pela iniciativa”, afirmou Fabiana Fernandes, empresária.

“Foi uma lição ao comércio local e a todos nós. Em forma de brincadeira ele nos ensinou coisas que não sabíamos. Todos estão de parabéns”, ressaltou Zé Gentil, deputado estadual.

“Uma palestra totalmente motivadora, onde nossos comerciantes e nossos vendedores precisavam dessa motivação para que nós possamos fazer esse dinheiro circular cada vez mais. E quanto mais o emprego circular, mais empregos a gente vai gerar em nosso município”, afirmou Fábio Gentil, prefeito de Caxias.

“Pude perceber muitas pessoas interessadas em aprender. Agora como conseguir manter essa motivação toda? Aí é com o empresário. É importante que ele sempre esteja motivando o seu vendedor para que ele aprenda mais e possa aplicar em sua prática dentro da loja, dentro do comércio”, afirmou Ciro Bottini, apresentador. (Da assessoria)

MARANHÃO - Programa Investe Turismo realiza seminário e fortalece ações estratégicas para a Rota das Emoções

17.8.19
Iniciativa do Ministério do Turismo (MTur), em parceria com o Governo do Maranhão, Embratur e Sebrae.


Seminário Investe Turismo reuniu gestores públicos e privados envolvidos nos projetos
de gestão integrada e qualificação da rota turística (Foto: Marcos Rocha)

Identificar oportunidades de negócios, políticas públicas e outros meios com fins a potencializar o desenvolvimento da atividade turística na Rota das Emoções. Este é o objetivo do Seminário Investe Turismo, realizado nessa quinta-feira (15), das 8h às 19h, no Salão Multicenter Negócios e Eventos do Sebrae, no Altos do Calhau.

Iniciativa do Ministério do Turismo (MTur), em parceria com o Governo do Maranhão, Embratur e Sebrae, o seminário é voltado a gestores públicos e privados envolvidos nos projetos de gestão integrada e qualificação da rota turística. Empresários, fornecedores, estudantes e imprensa especializada marcaram presença no evento para discutir, trocar experiências, conhecer novos produtos e serviços, além de qualificar profissionais e aprimorar os empreendimentos.

“O Governo do Maranhão tem um olhar ao turismo e são diversos os investimentos neste setor para impulsionar e fortalecer os negócios. Este evento vem coroar os esforços da gestão na área, uma vez que reúne instituições, agentes e gestores para pensar, desenvolver e investir o turismo do nosso Estado. A Rota das Emoções é uma destas prioridades, somado a projetos e ações diretas e de impacto decisivo, promovidas pelo Governo, para potencializar o setor”, pontuou o vice-governador Carlos Brandão, que representou o governador Flávio Dino durante o evento.

O secretário de Estado de Turismo (Setur), Catulé Junior, destacou o evento como um momento especial. “Temos uma reunião de parceiros importantes para o desenvolvimento da rota que se configura como um roteiro integrado dos estados participantes”, informou. O gestor enfatizou que o grande propósito do seminário é tornar as parcerias cada vez mais fortes. “O turismo é a junção dos esforços do poder público e da iniciativa privada e o Investe Turismo tem essa finalidade. Somente juntos e unidos vamos desenvolver o turismo do Maranhão”, complementou.

Armando Ferreira, empresário do ramo da hotelaria, apoiou a iniciativa do seminário e aproveitou para renovar as informações no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur). “Nos cadastramos a dois anos e, agora, estamos renovando. Neste cadastro estaremos operando de forma legal na rede de negócios e lei geral do turismo, além de representar uma referência positiva ao trade a inclusão neste sistema. O seminário nos possibilita a troca de experiência e o conhecimento de boas oportunidades na área”, reforçou.

Seminário Investe Turismo reuniu gestores públicos e privados envolvidos nos projetos de
gestão integrada e qualificação da rota turística (Foto: Marcos Rocha)

Na programação, painéis sobre oportunidades de crédito e financiamento para o turismo, apresentação dos projetos ProdeTur+Turismo e FungeTur, atendimento dos bancos e financiamentos, rodada de negócios, dentre outras ações. Na abertura, o painel de apresentação do programa Investe Turismo detalhou a situação das ações de responsabilidade do Comitê Gestor Nacional do programa. Houve, ainda, atendimento individualizado de empresários e agentes do turismo em estandes do Sebrae, Setur e instituições financeiras.

O objetivo principal do programa Investe Turismo é acelerar o desenvolvimento, aumentar a qualidade e a competitividade em 30 Rotas Turísticas Estratégicas do Brasil, com foco na geração de empregos. O programa vai destinar R$ 2,3 milhões para investimentos nas regiões que formam a Rota das Emoções. Na rota estão incluídos roteiros pelo Maranhão (São Luís, Araioses, Barreirinhas-Parque dos Lençóis Maranhenses, Paulino Neves, Santo Amaro e Tutoia), Ceará (Delta de Jericoacoara) e Piauí (Área de Proteção Ambiental do Delta do Parnaíba).

Prefeito Américo injeta mais de R$ 1 milhão de reais na agricultura familiar


Na manhã desta quinta-feira, 15/08/2019, a equipe da Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca acompanhou a colheita de milho verde, produzido em Coelho Neto por nossos agricultores familiares.

O milho verde é um dos muitos itens que integram o cardápio da merenda escolar na rede pública municipal e que são adquiridos através do Programa Nacional de Alimentação Escolar-PNAE. Outros alimentos fazem parte do menu: melancia, galinha caipira, batata doce, macaxeira, cheiro verde, farinha de puba e farinha branca, arroz comum, dentre outros.

Nas escolas o milho vira canjica, tornando-se parte importante da merenda escolar

Mais de um R$ 1 milhão de reais sendo investidos ao longo de 2019, nesse ano 79 agricultores e agricultoras familiares coelhonetenses estão participando do PNAE, produzindo e fornecendo para a Prefeitura de Coelho Neto.

Com o prefeito Américo de Sousa (PT), a aquisição de alimentos vindos da agricultura familiar virou uma política municipal constante, com o pequeno produtor rural tendo espaço garantido para comercializar sua produção com o Governo Municipal tendo assim o estimulo necessário para produzir sempre mais. Dessa forma, o prefeito garante a geração de renda dentro município fortalecendo a economia local, e valoriza o homem do campo.

(Da assessoria)

DESESPERO VIRTUAL - Grupo de perfis falsos na internet tenta impulsionar campanha negativa contra prefeito Fábio Gentil

16.8.19

Autor da rede criminosa tem obsessão doentia pela área da saúde

O desespero que tomou conta de alguns saudosos do governo Léo coutinho, e cujo rastro de destruição ainda está vivo na memória dos caxienses, os motivou a se lançarem numa campanha insana para tentar impor à atual gestão as mesmas notícias negativas que tanto marcou a administração passada.

Com perfis falsos na rede social facebook, e amparados por meia dúzia de fracassados a lhe garantirem likes e comentários irresponsáveis nas publicações malucas, os caxienses assistem diariamente a um festival de baboseiras disseminadas contra qualquer membro do governo Fábio gentil que se destaque a fazer um trabalho de resgate da saúde no município, tão massacrada na última gestão e cujo trabalho de recuperação do setor é sentido pela população.

Aliás, o autor dessas patranhas parece sofrer de uma obsessão doentia pelo setor da saúde. É como se fosse nessa área a raiz de toda a sua frustração.

Mas se no Facebook o trabalho desses doidivinas é restrito a um pequeno número de perfis falsos, pelo aplicativo Whatsapp o contingente desses zumbis da abstinência de poder é um pouco maior.

Apresentando-se com nomes fictícios, esses personagens tem sempre um mesmo autor a abastecer o grupo com 'denúncias' das mais absurdas e onde uma mesma mensagem negativa contra o governo Gentil é compartilhada a exaustão em dezenas de grupos de whatassap existentes em Caxias. Por ser feita por amadores, os integrantes do grupo parece que não se deram conta de que a patética estratégia não surte efeito algum, pois todos que leem esses absurdos disseminados diariamente tratam os assuntos abordados como eles são: lixo da internet.

O que mostra o caráter doentio do grupo é que o chefe dessa milícia virtual, um sujeito cuja loucura transborda no olhar, recebe a admiração dos comandados ao se contentarem com um gole de cerveja nos finais de semana e a promessa de um emprego numa hipotética volta ao comando do município, o que só mostra o grau de insanidade da turma.

O simples registro da atuação desses desvairados aqui no blog é o suficiente para inflamar o que é uma característica de todos eles: um ego doentio que encontra alívio diante do álcool e do rivotril.

Caxias sempre teve na sua história a atuação de uma oposição que chamava a atenção da classe política maranhense pelos embates que aqui eram travados.

Hoje em dia, um alucinado usa na covardia do anonimato uma forma de extravasar todos os seus recalques e frustrações.

Sem se darem conta, aqueles que um dia sonham em voltar ao poder no município deixam de construir um caminho sólido e se agarram na ilusão das fakes news para alimentar seus delírios mais profundos.

Que oposição sofrível...

Professora caxiense lança primeiro livro após repercussão de textos na internet

15.8.19

A professora caxiense Ana Lucia e Silva Pinto Gonçalves lança seu primeiro livro, “Mosaicos”. Será neste sábado, 17, às 19h30, na Academia Caxiense de Letras, durante a  solenidade dos 22 anos da Entidade.

Ana Lucia e Silva Pinto Gonçalves lança seu primeiro livro
O livro “Mosaicos” tem 114 páginas, em sua maioria poesias, além de pequenos textos de reflexão e crônicas. Diversos desses textos tinham sido publicados em espaços digitais (redes sociais) na Internet e mereceram boa acolhida por parte do público leitor. Com a repercussão positiva, a professora Ana Lucia começou a planejar a formação de um livro que reunisse os trabalhos já expostos mais um bom número de textos inéditos.

Para a edição do livro, Ana Lucia Pinto Gonçalves convidou o escritor, jornalista, administrador e consultor caxiense Edmilson Sanches, amigo da família e experiente editor de obras literárias e técnicas. Sanches é membro fundador da Academia Caxiense de Letras, diretor do Instituto Histórico e Geográfico de Caxias e membro da Academia Sertaneja de Letras, Educação e Artes do Maranhão (Asleama). A convite de Ana Lucia, também fez o prefácio de “Mosaicos”. O texto se juntou aos demais textos de apreciação da obra, como a apresentação, escrita pelo poeta e pesquisador Quincas Vilaneto, o posfácio, de autoria do professor Raimundo Nonato Sousa, além de textos assinados pelos professores e escritores Gilvaldo Quinzeiro, Joseane Maia e Silvana Lourenço de Meneses.

No prefácio, Edmilson Sanches historia: “As poesias de Ana Lucia Pinto Gonçalves começaram a ser vistas e lidas a partir de um ambiente virtual [...]. O acompanhamento e os comentários de seguidores das denominadas ‘postagens’ poéticas estimularam a autora a pensar em enfeixar seus trabalhos literários no mais charmoso e mais ‘histórico’ dos suportes de textos: o livro.” Sobre a poesia de “Mosaicos”, o editor caxiense analisa: “Estes poemas têm, quase todos eles, os mesmos personagens. Explícitos, sombreados ou ocultos, há nos poemas uma mulher presente e um homem ausente. Uma mulher que faz perguntas, que sente faltas, que exprime desejos, que rumina insatisfações, que regurgita necessidades. Uma mulher plena de privações -- românticas, amorosas, sensussexuais...” Sanches observa: “Paradoxalmente, a ausência na personagem é a razão de ser do poema. O poema existe porque algo não existe.”

Por sua vez, Quincas Vilaneto, na apresentação, que “a poesia de Ana Lucia, é feita de inquietação e de retorno, de confrontações e sensações em combustão”. Ele percebe que “nos versos de Ana Lucia até o silêncio diverge [...]” e que “o livro entoca o inquieto silêncio” e “o poeta desentoca o leitor e a palavra, tecendo um colar de imagens que são espalhadas e às vezes se ajuntam num poema”.

Já Raimundo Nonato Sousa, no posfácio, descreve: “Neste mosaico de poesia(s), perceber-se-ão nuances de sobriedade, malícia, pureza, altivez, bucolismo, onírico e real; palavras em movimento, ora se aproximando semântica ou sentimentalmente, ora se afastando, mas sem se desconectarem.”

Parabenizando a autora, Gilvaldo Quinzeiro vê Ana Lucia Pinto Gonçalves “como guerreira do seu canto/pranto”, que “ora oculta as flechas, ora expõe a esfinge”. Isso, para Quinzeiro, “trata-se de uma busca incessante por aquilo que lhe emprenha os sentidos; lhe enverga o corpo e lhe faz peregrina do seu caminhar/poético. É como alguém no meio de uma caravana persa a atravessar os desertos em busca das suas outras vidas.” Nisso tudo, conclui o professor, "o papel de qualquer escrita: despertar a imaginação de quem a lê”.

A professora doutora Joseane Maia, saudando o leitor ao “universo poético de ‘Mosaicos’”, aprecia: "A poesia de Ana Lúcia expressa uma intimidade existencial que encontra ecos nos vazios de quem lê. Do insólito ao comum, do simples ao complexo, a provocação de sentidos se efetiva graças ao trabalho com a linguagem, ao flerte com a metafísica, potencializando a dimensão estética da palavra e revelando sensibilidade no dizer.”

A escritora, poeta e professora Silvana Menezes interjeciona sobre “o amor e as inquietações que permeiam o ser humano”, onde “Ana Lucia nos apresenta a sua parte, recheada de sonhos e cores de vários matizes existindo-se nela”. A professora reflete: "A vida é um risco, se não arrisco, não vou perder, mas nada posso ganhar". E conclui: “Ganhamos nós com a poesia de Ana Lúcia.”

A AUTORA - Ana Lucia e Silva Pinto Gonçalves, autora de “Mosaicos”, é professora, tem graduação em Letras e pós-graduação em Docência do Ensino Superior. Atualmente, cursa graduação em Filosofia. Segundo ela, “às vezes, sem aviso prévio e sem pedir licença, recebe a visita da poesia, que adentra sua alma  --  e esta, prenhe de versos, rimas e sentidos, pare palavra-amor e palavra-dor”.

SERVIÇO

O quê – Lançamento do livro “Mosaicos”, de Ana Lucia e Silva Pinto Gonçalves.
Quando – Dia 17 de agosto de 2019, sábado, a partir das 19h30.
Onde – Na Academia Caxiense de Letras - Rua Alderico Silva, 737 – Centro (antiga Rua 1º de Agosto).

CAXIAS - Vila Gentil Filho: moradores fazem cadastro para regularização fundiária da comunidade


O trabalho está sendo feito em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social.

A Coordenação da Regularização Fundiária recebeu moradores da Vila Gentil Filho, que foram fazer o cadastramento junto ao órgão em busca da regularização das terras da comunidade, que fica ao lado do bairro Luiza Queiroz.

“Com o documento na mão, iremos trabalhar à vontade. Nós queremos agilizar para que andemos certos agora. O prefeito Fábio Gentil está fazendo muito bem com nós”, disse o morador Genival de Sousa.

“Viemos até aqui para regularizar a nossa situação e voltarmos para nossa área. Estamos recebendo todo apoio do Município. Assim fica muito mais fácil para nós”, reforça Ricardo Alves, presidente da Associação da Vila Gentil Filho.

A área de 70 hectares a ser regularizada pertence ao Município e os trabalhadores não perderam tempo para agilizar a documentação para enfim terem o título da terra onde pretendem viver. O trabalho está sendo feito em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS).

“Estamos fazendo um cadastro, um levantamento de dados, porque provavelmente será a próxima comunidade a ser contemplada com a regularização”, afirma Ronyara Pimentel, coordenadora da Regularização Fundiária.

Mais

A prefeitura também está regularizando a comunidade Vila Esperança, no 3° Distrito de Caxias, próximo ao posto da Polícia Rodoviária Federal.

“Como a Vila Esperança está dentro de uma APA, é preciso fazer uma alteração no Plano Diretor para poder fazer essa compensação ambiental”, explica Ronyara Pimentel.

O prédio da Regularização Fundiária fica na Rua Siqueira Campos, no Centro de Caxias, e recebe quem deseja fazer a regularização do seu terreno ou lote, seja do tipo social ou específica.

“A diferença básica é que na específica, o proprietário arca com as custas cartorárias e tributação, para a segurança que dá família. Já no caso da regularização social, a pessoa comprova que é de baixa renda e não arca com custo algum, nem mesmo as cartorárias”, explica Hélio Costa, advogado da Regularização Fundiária. (Da assessoria)

Artigo - Garzon, o Juiz


Por Edson Vidigal

Ninguém da sua geração conseguiu impor tantas derrotas à corrupção política, à delinquência econômica, ao narcotráfico, ao terrorismo - inclusive o de Estado, desmantelando organizações criminosas que agiam à solta pelos desvãos dos três poderes, sem nunca descuidar, ao mesmo tempo, da persecução implacável dos que pisotearam, e ainda pisoteiam, os mais sagrados dos direitos, os direitos humanos.

Baltazar Garzón tinha 32 anos de idade quando chegou a Madrid para assumir o cargo de Juiz Central de Instrução n.5 da Audiência Nacional.

A aparência jovem parecia sonegar a experiência e a coragem. Logo veriam que Baltazar Garzón não era apenas um Juiz sem vínculos pessoais importantes e vindo do interior.

Dois anos depois de concluir, aos 24 de idade, o curso de Direito na Universidade de Sevilha, aprovado em concurso, foi nomeado Juiz. No ano seguinte, foi promovido a titular da 1ª. Instância e Instrução de Villacarrillo, província de Jaén (Andaluzia). Daí, ascendeu a Corregedor Geral para toda região.

Seu trabalho na Audiência Nacional fez crescer a confiança popular na Justiça.

Garzón investigou por lavagem de dinheiro o BBVA, o segundo maior banco da Espanha. Emparedou Berlusconi, então Primeiro Ministro da Itália, por corrupção. Mandou prender terroristas, traficantes, políticos, fechou rádios, jornais e suspendeu o Partido Comunista, quando restou provado o vínculo com o braço terrorista do ETA, o movimento separatista basco.

O Juiz sem medo pensou que na política poderia ampliar os espaços da sua ação. Queria conhecer a baleia por dentro. Na lista do PSOE, o partido que despontava majoritário sob a liderança jovem de Felipe Gonzalez, Garzón foi o mais votado.

No Governo, assumiu a direção do Plano Nacional Antidrogas. Renunciou ao cargo e ao mandato denunciando que a corrupção se entranhara demais na engrenagem estatal.

O Juiz Garzón logo compreendeu que o PSOE tinha os votos, mas lhe faltava a experiência para governar.

Retornando à magistratura, cuidou de desmantelar um grupo de extermínio criado sob a proteção do partido do Governo para matar membros e simpatizantes do ETA. Todos os figurões que condenou e mandou prender foram indultados pelo novo Presidente do Governo, agora de direita, José Maria Aznar.

No campo dos direitos humanos, deixando os academicismos de lado e indo diretamente à ação, expediu ordem de prisão do General Pinochet, acusado de mandar torturar e matar não só milhares de chilenos, mas também cidadãos espanhóis durante a ditadura que chefiou.

Depois de meses na Inglaterra, Pinochet teve voltar ao Chile escudado na imunidade do cargo de Senador vitalício, que ele criou para si antes de restituir o poder aos civis.

Garzón conseguiu um acordo de 8 milhões de dólares para os espanhóis vitimas da ditadura chilena, ou familiares, pagos pela Riggs National Corp, que ajudou o general-ditador a lavar dinheiro.

No mesmo quesito, o Juiz sem medo abriu investigações sobre a Operação Condor criada pela ditadura militar argentina para dar sumiço, e deu, a milhares de opositores. As investigações ainda seguem. Muitos estão presos. O general-ditador Jorge Videla morreu na cadeia.

O prestígio popular de Baltazar Garzón não só na Espanha como em toda a União Europeia cresceu tanto que organizações de defesa dos direitos humanos, inclusive dos Estados Unidos, cogitaram indicar-lhe ao Prêmio Nobel da Paz.

Odiado pelos nacionalistas bascos, jurado de morte pelos chefões do tráfico, desdenhado pelas forças políticas mais conservadoras, em especial as mais corruptas, Garzón perdeu força em sua corporação e de Juiz passou à condição de réu, sob a acusação de ter autorizado um grampo numa cela onde estavam os investigados de um rumoroso caso de corrupção de políticos.

Baltazar Garzón tinha 56 anos de idade quando o Supremo Tribunal da Espanha o condenou afastando-o da magistratura por 11 anos sob a acusação de ter ordenado a gravação de conversas entre acusados de um caso de corrupção. Não pode trabalhar como advogado na Espanha.

“Uma vida inteira dedicada à magistratura e de repente te dizem que acabou. É para ficar desolado. Compartilho da sua dor”. Disse Francisco Baena, o advogado, impedido de recorrer da sentença porque a decisão foi unânime.

Nas alegações finais em sua defesa, Garzón escreveu:

“O Tribunal do homem é a sua consciência, disse Emmanuel Kant. Eu posso dizer que minha consciência está tranquila porque tenho procurado aplicar a lei em defesa das vítimas; para investigar crimes cuja permanência ofende a dignidade humana e a sua impunidade transforma as instituições em inimigas do direito e a sociedade em cúmplice do esquecimento e da omissão e da falta de memória”.

Nosso Juiz sem medo escreveu um livro editado pela Editorial Planeta, de Barcelona, que está na 3ª. Edição, 1.029 páginas – “Em El Punto de Mira, la forja de um Juiz a contracorrente”. Não sei se há edição em português.

Ao final, Garzón adverte: “Abrir la puerta a la primeira injusticia és hacerlo a todas las que lós seguin”. (...) Agora, em tradução livre: “No mundo sempre fará falta um Juiz para indagar, para perseguir o crime e confortar as vitimas. Por isso, tenho a certeza de que, inevitavelmente, nunca deixarei de estar num ponto de mira”.

Nada a ver? Tudo a ver? Conclua você.

(Edson Vidigal, advogado, foi Presidente do Superior Tribunal de Justiça e do Conselho da Justiça Federal)