Devotos de São João do Sóter organizam caminhada até o Alto São Francisco num resgate as tradições de 60 anos do festejo

2.10.14
População sotense tenta manter a 
tradição do festejo de São Francisco

Resgatando a tradição do povoado Alto São Francisco, devotos do município organizam para este sábad0 (04), uma caminhada saindo da sede até o local do festejo.

De acordo com os romeiros, a ideia é não deixar que a festa do santo perca a referência que a mesma tem para o povo sotense.

O festejo no povoado Alto São Francisco iniciou-se há 60 anos com a moradora do povoado, Dona Eurides, que, juntamente com a família, construiu uma capela na localidade.

Em 2009, o grupo político liderado por Clodomir Rocha, ergueu a imagem de 16m de São Francisco, o que impulsionou a vinda de romeiros de todo o Maranhão, e até de estados vizinhos, para os festejos.

A capela onde se originou todas as celebrações do festejo no povoado também foi reformada pelo grupo político de Clodomir Rocha, garantindo espaço e conforto para os devotos.

O asfaltamento da estrada de acesso, assim como das ruas do povoado, também foi possível devido a intervenção política dos atuais mandatários de São João do Sóter.

Sendo o sucesso e a infraestrutura de todo o festejo de São Francisco obtidos graças a intervenção política da comunidade sotense, nada mais natural que a população do município queira uma participação maior nas atividades religiosas do local.

A caminhada dos devotos sotenses sairá na madrugada de sábado, às 03:00h da manhã a partir da Capela São Francisco, na Rua Califórnia, onde os romeiros irão percorrer o trajeto com orações até o povoado.

Ao chegarem no povoado, por volta de 08:00h, será celebrada uma missa na Capela fundada pela pioneira do festejo com todos os romeiros de São João do Sóter e aqueles que estiverem presentes no local.

Vamos manter as tradições e a fé do povo sotense em São Francisco”, garante Dona Feliciana Gomes, ansiosa para participar do evento.

Clima de fim do mundo na campanha de Edinho Lobão! Gil Cutrim adere a candidatura de Flávio Dino

Mais um prefeito dá adeus a candidatura de Edinho Lobão

A postagem publicada aqui no blog na tarde desta terça-feira (01) abordando a possibilidade de apoio do prefeito e São José de Ribamar, Gil Cutrim, a candidatura de Flávio Dino acabou se concretizando. Em evento em Balsas, Cutrim declarou apoio a Dino.

Prefeito da terceira cidade do Estado, Gil Cutrim é o atual presidente da Famem, entidade que congrega todos os prefeitos maranhenses.

Essa é a mais simbólica adesão de um partidário de Edinho Lobão a candidatura oposicionista. Feita na reta final da campanha, isso dá uma dimensão da real situação dos partidários do peemedebista em geral.

Em Caxias, praticamente não existe mais campanha de Edinho Lobão nas ruas. Os carros de som ficam quase todos parados o dia todo no comitê localizado na Avenida Nereu Bitencourt. Em Imperatriz, o comitê de Lobão chegou a ser fechado na semana passada.

Como se não bastasse o clima de desânimo que toma conta da campanha do PMDB, a ideia de tentar associar Flávio Dino com quadrilha de assaltantes de carro-forte como última tentativa de reverter o quadro, mostrou-se catastrófica.

Como se não bastasse a malfadada ideia do vídeo onde um criminoso acusava Flávio Dino, o desespero das últimas horas seguiu a mesma teoria do caos: seria de Dino e aliados a responsabilidade pelos ataques a ônibus na capital.

E assim se desenvolvem os últimos suspiros de um grupo político que domina o Maranhão há 50 anos.

Um novo ciclo está chegando.

O Maranhão será a última unidade da federação a se livrar do domínio de um político que detém o poder desde o período da Ditadura militar.

Cortinas

1.10.14
Por Edson Vidigal, advogado, professor e ex-ministro do STJ

É preciso estar muito atento para se perceber que o galo está cantando fora de hora.

Quando não havia essas poluições ambientais, sonoras e mais que trais atormentando até mesmo o interior do mato, o despertador pontual era o galo em todo raiar do dia.

Encolhido na rede, o corpo pedia mais um tempinho para a preguiça, mas o galo entoando seu canto a pulmões fortes era que nem um cabo corneteiro a irradiar seu anuncio e obrigação.

Alguém se lembra de algum galo cantando no mais cedo das manhãs chuvosas?

Ora, se a chuva da noite se encomprida até o mais cedinho enquanto o sol não dilui a penumbra quieta do amanhecer, qual galo se arrogará ao direito de suplantar com o seu canto poderoso a sinfonia tirada de instrumento invisível pelos pingos da chuva?

Quintal de respeito não pode deixar de ter caju, manga, cidreira, carambola, cajá, abacate, banana, pitomba, guabiroba, pimenteiras, umas moitas de ervas, pião roxo e espada de São Jorge contra maus olhados e, também, um jumento.

No mínimo, um jumento. O ideal mesmo é que o jumento viva ao lado da sua jumenta. Nisso a minha mulher é inflexível. Todo bicho feito por macho e fêmea um dia tem que se acasalar. Às vezes me comovo ante a insatisfação dela quando vê um bicho sem o seu par. Cadê a ovelha desse carneiro, seu Zé?

Não deu certo quando ela resolveu que os frangotes seguissem na promiscuidade com as galinhas. Aos poucos foram engrossando a voz até se assumirem galos. Lá se foi embora a paz do galinheiro.

Até cantei pra ela aqueles versos do Caetano – “e não há segredo / a vida é assim mesmo / e pior a emenda do que soneto / está sempre a esquerda a porta do banheiro /e há só um galo em cada galinheiro / e certa gente se conhece no cheiro...”  

Redistribuídos, reassentados, ficou só um galo em cada galinheiro. Os que estavam quase virando galos foram, um por um, a cada dia, doados à panela.

Eurídice odeia que ao menos se fale em castração de qualquer bicho. A Miúcha, minha pug infalível nas horas mais terríveis da depressão, morre de ciúmes do Kindle, o pug do Rodolpho, só porque a Camila o apresentou a uma certa Ilminha, uma pug de pelo escuro que nos fins de semana aparece no parque.

Quando comer bicho do mato não era nada condenável, eis que havia até um restaurante com um criadouro de veados e pacas chamado Selva do Brás, Eurídice recusou um jaboti que um amigo caçador quis lhe dar de presente. Como iria viver o jaboti sem a sua jabota?

Quando não havia essas poluições sonoras não precisava tanta atenção ao relinchar dos jumentos. Eles tinham hora certa. Relinchavam pontualmente de hora em hora. O Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, até registrou isso proclamando que o relógio dos pobres é o jumento.

Mas hoje, colega, galo nem se liga mais no amanhecer para com o seu canto poderoso e sem igual lembrar que o sol sempre vem anunciando um bom dia.

Jumento também parece ter se revoltado quebrando, que nem os galos, suas conexões com os graus centigrados e as horas.

Do mesmo modo, exceções à regra, os candidatos às eleições de domingo. Tudo já parece tão desmantelado que daqui a pouco será a lua a se acumpliciar com as trevas para um ato nefasto num apagão total. Ai de ti, Brasil.

Blog do Sabá chega aos 500 mil acessos

Quantidade de acessos até às 16:40h de 01/10/2014
Com pouco mais de 1 ano de existência, o blog do Sabá chegou no último final de semana aos 500 mil acessos.

Em nenhum momento desde a criação do blog a média diária de visualizações tem diminuído. A tendência sempre é de crescimento.

Nascido em maio de 2013, o blog do Sabá já é referência em Caxias e na região.

Ao longo dessa jornada, tenho enfrentado o combate de alguns, a indiferença de outros e a confiança de muitos.

As posições deste endereço eletrônico tem despertado paixões, insinuações e críticas de toda ordem.

Tenho buscado manter uma postura de confiança com as figuras públicas abordadas nas postagens e nos comentaristas que usam o anonimato para elogiar ou criticar os assuntos publicados.

Mantenho a política de aceitar o contraditório e permito a utilização do anonimato, pois entendo que muitos não querem se identificar por medo de represálias ou por questões de ordem pessoal. Mas, mesmo aceitando comentários de anônimos, não permito que sejam preconceituosos, racistas ou que tragam acusações de crimes de qualquer ordem sem a identificação do autor.

A serviço de determinados grupos políticos, os ‘amigos’ alugados tentam me patrulhar e fazem comentários anônimos contra a minha pessoa que, as vezes, publico para mostrar a credibilidade deste espaço.

Usando uma linguagem clara e as vezes irreverente, o blog do Sabá tem conseguido se firmar cada vez mais e conseguindo admiradores em Caxias e em várias partes do Maranhão, do Brasil e até mesmo fora do país.

Em nome da confiança conquistada, tenho procurado manter-me fiel aos princípios adotados desde o início do blog.

Colecionei alguns desafetos ao longo desse período, pois muitos leitores não entendem certas posições minhas e tentam colocar dúvidas sobre a credibilidade do que aqui é noticiado.

Mas é com paixão, raiva, indiferença e entusiasmo que o blog do Sabá passou das 500 mil visualizações.

Essa marca não foi obtida a toa. Credibilidade não ficou para todo mundo.

Obrigado aos leitores!

Prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim, pode puxar onda de adesões a Flávio Dino na reta final da disputa

Gil Cutrim e Luis Fernando Silva
É cada vez maior a possibilidade do prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim, declarar apoio a Flávio Dino. O anúncio, segundo analistas políticos da ilha, pode acontecer até o final desta quarta-feira, 01.

Gil Cutrim já deu sinais de que isso pode acontecer, pois no último ato da campanha de Lobão Filho em São José de Ribamar, ocorrido há poucos dias, o prefeito não compareceu, o que só alimentou a onda de boatos.

O jovem prefeito de Ribamar é afilhado político do ex-candidato a governador Luis Fernando Silva e filho do presidente do TCE, Edmar Cutrim. Caso a adesão dele aconteça, pode significar uma pá de cal na candidatura de Lobão Filho e uma reviravolta na composição do grupo Sarney, pois a inclinação de Luís Fernando para o barco dinista mostra o enfraquecimento do poder desse grupo.

Vários veículos de imprensa noticiaram na semana passada a existência de uma forte discussão do senador José Sarney e o presidente do TCE, Edmar Cutrim, nas dependências do Palácio dos Leões por conta da possibilidade de Cutrim liberar o filho, e junto com ele dezenas de aliados, para apoio a Flávio Dino.

Mesmo sendo apenas uma especulação de bastidores, o assunto já dominou a pauta eleitoral desta quarta-feira.

Concretizando ou não essa adesão, a simples insistência do boato sem nenhuma posição clara de Gil Cutrim desmentindo o assunto, e a sua negativa em participar de atividades de campanha de Lobão Filho em São José de Ribamar, mostram que, mesmo que não declare apoio a Flávio Dino, sua empolgação com o candidato do grupo Sarney é praticamente inexistente.

Para bom entendedor, isso é uma prova inequívoca da posição política de Gil Cutrim e do seu grupo.

Sem empolgar, debate praticamente encerrou a campanha…

Do blog do Marco D’Eça

A última expectativa em relação a uma possível mudança da  dinâmica na reta final da eleição no Maranhão esvaiu-se ontem, com o debate da TV Mirante.


Sem empolgar, o programa acabou por ser apenas mais uma etapa de compromissos pré-eleição dos candidatos Lobão Filho (PMDB), Flávio Dino (PCdoB) e Antonio Pedrosa (PSOL).

E este blog não vê possibilidade de que ele possa influenciar na decisão do eleitor, domingo.

Como as entrevistas dos demais candidatos – Zeluis Lago (PPL), Josivaldo Correa (PCB) e Saulo Arcangeli (PSTU) também já não terão mais importância alguma, resta aguardar o cantar das urnas, domingo, para se saber com se definirá a escolha do futuro governador do Maranhão.

Antes disso, na quinta-feira, o ibope divulgará sua última pesquisa de intenção de votos, já usando o critério de contabilizar apenas os votos válidos.

O levantamento apontará o que deverá acontecer domingo.

No mais, é a expectativa até lá.

Simples assim…

Alucinações

30.9.14
Artur Rimbaud, passando “Uma temporada no inferno”, disse: “Acostumei-me à alucinação simples: via fácil uma mesquita no lugar de uma fábrica, uma aula de tambores dada por anjos, carruagens nas rotas do céu, um salão no fundo de um lago; os monstros, os mistérios; um título de comédia me sugeria assombros”. E sugerem algum tipo de alucinação os últimos atos do governo, que a cada movimento se enreda mais em ilegalidade, na busca de mudar uma realidade eleitoral a cada dia mais consolidada.

O candidato Lobão Filho de fato propôs num programa de rádio pagar 20 mil reais por cada vídeo produzido contra seu principal adversário, Flávio Dino. E nos espanta a todos ver o membro de uma facção criminosa acusando o líder da coligação “Todos pelo Maranhão” de comandar um assalto a cofres fortes. Só mesmo mentes alucinadas poderiam achar que tamanha sandice tinha alguma chance de dar certo. E resvalam, os mentores de tamanha estultícia, apanhados com a boca na botija, pelas profundezas da idiotia ao achar que alguém no Maranhão possa crer nisso. E quanto à revista da aeronave do candidato Lobão Filho, pareceria natural não fosse esse um período eleitoral, posto que o personagem é um homem investigado em processo corrente no Supremo Tribunal Federal.

Quedamos, agora, estupefatos, com uma reunião de secretários nas dependências do Palácio dos Leões na qual propõem, descaradamente, o abuso de poder político e econômico, crimes circunscritos ao Código Eleitoral, como forma de reverter a situação da candidatura de Lobão Filho. Propõem convênios às vésperas da eleição, outro crime previsto em lei; falam de prefeitos que não ‘vestem a camisa’ por falta de dinheiro, e outros absurdos que cada vez mais arrastam a coligação “Pra Frente Maranhão” no terreno movediço da ilegalidade.

Só alucinados iriam ocupar a Justiça no objetivo de responsabilizar Flávio Dino pela onda de criminalidade que tomou conta do Estado, como se fosse ele o governante; só um impressionante desespero os levaria a querer responsabilizar judicialmente o candidato por uma investigação da Polícia Federal. O juiz eleitoral Clodomir Sebastião Reis, naturalmente, negou a liminar requerida, chamando a atenção para a “fumaça do bom Direito”, o fumus boni iuris, cotejado há séculos pelos operadores da Justiça. E aqui, além do bom direito, falta o bom senso que já começa a provocar alucinações.

A bem da verdade, estão sonhando com aqueles ‘bons tempos’ em que rios de dinheiro eram despejados nesse Estado para comprar voto a voto, sem qualquer ou independente de fiscalização, porque os donos do poder podiam agir ao arrepio da lei. Já não é tão fácil, tanto que se deixam flagrar, dentro do próprio Palácio do Governo, ao cometimento de alguns dos mais graves crimes eleitorais. Acometidos de alucinações, nos fazem lembrar as visões tortuosas do jovem poeta Artur Rimbaud. (Editorial do Jornal Pequeno)

Sobre prestação de contas e denúncias na saúde - Vereadoras Taniery Cantalice e Benvinda Almeida cobram esclarecimentos

Taniery cobrou atualização do Portal 
da Transparência da Câmara
As vereadoras oposicionistas Taniery Cantalice e Benvinda Almeida deram ontem na Câmara, exemplos de como um parlamentar deve proceder no exercício do seu mandato.

Primeira a fazer uso da palavra, Taniery fez um relato de problemas estruturais do poder legislativo, tais como: falta de material de limpeza e higiene, falha na rede de internet e falta de manutenção de computadores dos gabinetes. Taniery também fez a cobrança pela não atualização da Portal da Transparência da Câmara, que, segundo revelou, “está desde dezembro de 2013 sem ser alimentando com informações”.

Benvinda pediu que vereadores investiguem 
morte de criança no Hospital Infantil
A presidente Ana Lúcia Ximenes respondeu aos questionamentos da colega, mas tratou apenas dos assuntos simples e que pouco ou nada interessam ao grande público. “Mesmo afastada, sempre ligava para cá para saber do dia-a-dia da Casa, e está tudo sendo limpo, temos cafezinho e a falha na internet, isso é uma constante nessa área da cidade”, esclareceu a presidente sem, no entanto responder ao que mais interessava a Taniery e ao público presente: a atualização da prestação de contas do poder legislativo no portal que deveria ser da transparência.

Ocupando a tribuna, Benvinda Almeida trouxe ao debate a questão da recente morte de uma criança no Hospital Infantil. A vereadora relatou as controvérsias dadas nas explicações da Prefeitura e disse que está investigando o caso. “Já fui no Conselho Tutelar, já fui no Hospital Infantil e temos, nós da Comissão de Saúde da Câmara, buscar os esclarecimentos que o caso requer”, disse Benvinda Almeida que revelou ainda que “já foram 70 crianças mortas na rede pública de saúde de Caxias e temos que saber o motivo disso estar acontecendo”.

Mário Assunção disse que já está em busca de 
informações sobre o caso de criança morta no HI
A vereadora comentou ainda que as suspeitas levantadas pelos médicos do Hospital Infantil, de que a criança que veio a falecer teria sido vítima de espancamento, deveria, por obrigação do médico que a atendeu, “ter sido levada [a suspeita] ao delegado de polícia, pois esse é o procedimento correto”, declarou Benvinda que falou ainda que há cerca de 2 semanas, “uma criança do povoado lavras teve o pescoço quebrado durante o parto”. “São muitas dúvidas que nós temos que buscar as respostas”, finalizou a vereadora.

Vereador Luís Lacerda tem 
acompanhado o caso de 
óbito no HI
O líder do governo na Câmara, vereador Mário Assunção, numa demonstração de civilidade, elogiou o pronunciamento da colega Benvinda Almeida, que não politizou o assunto, e defendeu a apuração das causas da morte da criança em discurso na tribuna.

Eu e o vereador Luís Lacerda, num trabalho de investigação, já fomos até o Hospital Infantil para saber as circunstâncias que ocorreram a morte dessa criança e estamos dispostos a encontrar as respostas”, disse Mário Assunção ressaltando que o Hospital Carmosina Coutinho “recebe pacientes de dezenas de cidades do Maranhão”.

A sessão da Câmara desta segunda-feira, 29, foi provavelmente a última antes das eleições. A tendência do parlamento caxiense até o final do ano é de baixa produtividade e de poucas sessões ordinárias.

Eleições 2014 - Catulé Júnior e Alberto Filho realizam mais uma grande reunião com seus apoiadores no espaço Marília Eventos em Caxias

Quem diz até onde um homem vai chegar são os seus sonhos”, Catulé Júnior em ato político no Marília Eventos.

Candidato a deputado estadual Catulé Júnior
O candidato a deputado estadual, Catulé Júnior, juntamente com seu companheiro nessa disputa, deputado federal e candidato a reeleição, Alberto Filho, realizaram mais um grande evento na noite desta segunda-feira, 29, em Caxias.

Marcado com menos de 24 horas de antecedência, a reunião no espaço Marília Eventos foi um verdadeiro sucesso de público e de empolgação.

Logo que chegaram ao local, os candidatos foram recebidos com abraços verdadeiros dos militantes e apoiadores nesta campanha.

Vereador Catulé
Entre os oradores, o vereador Catulé foi o primeiro a falar e pediu votos para seu filho que postula um mandato de deputado estadual e para Alberto Filho, candidato a reeleição de deputado federal.

Em Caxias, quando precisamos de um deputado estadual ou de um federal para resolvermos problemas da cidade, temos que buscar o estadual em São Luis e o federal em Brasília, pois não temos representantes no legislativo em nosso município”, justificou Catulé ao pedir votos aos dois candidatos presentes no evento.

Candidato a deputado federa Alberto Filho
Nossa cidade não tem saúde, não tem educação, não tem sequer um prefeito”, disse Catulé pedindo desculpas ao público presente por um dia ter pedido votos “para uma pessoa que não tinha o mínimo preparo para ser prefeito”.

O vereador Catulé aproveitou a oportunidade para falar da rejeição do atual prefeito. “O índice de rejeição dele chegou a 82%, o que nunca outro prefeito já teve em nosso município”, revelou Catulé que lamentou ainda o fato de Caxias estar sendo hoje “achincalhada em todo o Brasil por conta de 62 crianças que já vieram a óbito nos hospitais da cidade”.

Alberto Filho, o mais jovem deputado federal já eleito no Maranhão, trouxe para a reunião no Marília Eventos a confiança depositada no grupo que o acompanha em Caxias.

Sei que estou ao lado de pessoas honradas, pois o Catulé já tem 7 mandatos como vereador e isso é uma prova de que ele sabe honrar o voto dos caxienses”, iniciou Alberto Filho para em seguida estender o elogio a Júnior: “Se o Catulé é um bom político, com certeza seu filho também será”. “Só temos a agradecer a essa parceria e tenho certeza que vocês acreditam no apoio que Catulé Júnior me dá”, disse o deputado federal demonstrando uma total confiança no seu companheiro de chapa em Caxias e em todo o grupo que lhe apoia.

Cumpri bem meu primeiro mandato e sempre volto aos municípios que me apoiam, pois quem vota em mim nunca se decepciona e tenho certeza que estarei aqui de volta para conversar com vocês e ajudar Caxias”, finalizou o deputado afirmando que estará na cidade na próxima sexta-feira, 03, para participar de uma carreata ao lado de Catulé Júnior.

Último orador da noite, Catulé Júnior começou seu discurso empolgando os correligionários presentes: “essa campanha é nossa”, abriu seu pronunciamento. “Se eu ganhar, todos nós ganhamos”, continuou Catulé conseguindo levantar o público que demonstrou estar bastante envolvido na campanha.

Estamos próximos de sermos eleitos, mas para garantir a nossa vitória, preciso do esforço de cada um conseguindo votos”, conclamou Júnior pedindo ao público presente que faça um esforço para multiplicar seu voto por 10. “Se cada um daqui conseguir 10 votos, seremos milhares e vamos conseguir a vitória no próximo domingo”, pediu o candidato.

Ao final da sua fala, Catulé Júnior disse que “aqui, em cada um de vocês, tem um laço que ninguém pode tirar, que é o laço do coração”.

Fim de semana com 4 mortes no trânsito em Caxias

29.9.14
(Imagem ilustrativa)
O fim de semana foi trágico no trânsito de Caxias e região, com registro de pelo menos 4 mortes, todas envolvendo motocicletas.

Uma das vítimas foi o professor Francisco das Chagas Sousa Caldas, que morreu na madrugada do sábado para o domingo após colidir sua moto com uma caçamba.

De acordo com informações, repassadas pelo irmão da vítima, Francisco teria ido até Coelho Neto, para tomar posse como professor naquele município. No retorno para Chapadinha, uma caçamba com apenas um farol aceso surgiu na estrada. A vítima teria imaginado que seria outra motocicleta e colidiu de frente.

Francisco foi trazido para o HGM em Caxias, onde não resistiu aos ferimentos e veio à óbito.

A segunda vítima foi Antonio Hermenegildo dos Santos. O acidente com ele ocorreu nas proximidades da Praça da Chapada. As informações repassadas para a polícia, foi que outra moto colidiu na traseira da motocicleta pilotada por Hermenegildo, que ao cair, teve traumatismo craniano. Ele chegou a ser levado para o HGM e depois transferido para Hospital em Teresina, mas, não resistiu e veio à óbito.

Um terceiro acidente deixou como vítima fatal Pedro Pereira de Sousa Filho. O acidente aconteceu na Avenida da Independência, no bairro Ponte e de acordo com informações, Pedro teria perdido o controle da moto e colidindo frontalmente com uma Combi que vinha no sentido oposto. Ele chegou a ser socorrido para o HGM, mas, morreu logo após dar entrada no hospital.

Uma quarta vítima de trânsito na região foi ainda na sexta-feira (26), quando um homem que participava de um ato político no povoado Cocalinho, zona rural de Aldeias Altas, morreu após colidir a moto que pilotava na traseira de uma caminhonete. (Fonte: Mano Santos/Portal Noca)