Contradições marcam live onde Paulo Marinho Júnior anunciou rompimento com Fábio Gentil

6.4.22

Melhor momento de audiência da live contava com 68 seguidores on line
 

Ora alegando problemas na administração municipal, ora alegando supostos acordos não cumpridos, o vice-prefeito de Caxias, Paulo Marinho Júnior, anunciou o que todos já sabiam e esperavam: estava rompido com o prefeito Fábio Gentil.

Com muitas contradições, e um certo ar de ingenuidade, PMJ disse na sua live/entrevista/pronunciamento que esperou até o dia 02 de abril pela desincompatibilização do prefeito para só então anunciar a sua decisão, o que joga por terra o suposto motivo de preocupação com a cidade, pois caso existisse esse cuidado com a administração do município, e isso fosse algo extremamente grave conforme alegado por ele, o rompimento deveria ter acontecido desde quando o mesmo reclamava e apontava problemas e estes não eram resolvidos. Só viu necessidade de romper quando o cargo de prefeito não caiu de mão beijada na sua frente.

“Tentei até o dia 02 de abril. O prefeito não quis conversar, não quis mudar. Ele não tinha que me agradar, ele tem que agradar era o nosso eleitor, ele tem que agradar a população que deu mais de 80% dos votos pra nós, pra minha chapa que eu fazia junto com ele”, disse PMJ a alturas tantas da sua fala.

Quanto a ingenuidade do vice-prefeito, entre as 68 pessoas que estavam online no momento da live, somente ele não sabia das pretensões de Fábio Gentil em lançar a filha como deputada federal, algo do conhecimento de 11 entre 10 caxienses minimamente antenados com o mundo político. E essa pretensão do prefeito caxiense existe desde o início do seu segundo mandato, não podendo o vice se fazer de desentendido a essa altura do campeonato.

Após elencar outros motivos para o rompimento com o prefeito, PMJ soltou uma pérola que por si só é uma resposta do porquê de Fábio Gentil não lhe dar de presente o cargo de prefeito: “Fiz parte disso e não aceito estelionato eleitoral”.

Ora, caros leitores, em nenhum momento na última eleição foi dito aos eleitores, nem por Fábio, e muito menos por Marinho Júnior, de que o mandato de Gentil seria de 1 ano e 3 meses e que o restante, 2 anos e 9 meses, seria o vice o ocupante da principal cadeira do Palácio da Cidade. Caso isso acontecesse, sem combinar previamente com o eleitor, estaríamos sim diante do maior estelionato eleitoral da política caxiense em toda a sua história.

Ao falar de números de uma suposta pesquisa eleitoral feita em 2016 para medir a preferência do eleitor, PMJ cravou que tinha na época 21% e o então vereador Fábio Gentil 22%, o que é no mínimo um absurdo, pois todas que o titular do blog teve acesso naquele ano, coisa de 5 ou 6, em nenhuma o atual vice-prefeito apresentava alguma viabilidade de ser ele o candidato e nem ostentava um número tão alto. Ele contava sim com uma estimativa nada desprezível de votos, mas com uma rejeição altíssima, o que afastava qualquer possibilidade de ser ele o cabeça de chapa na disputa, daí a alternativa como vice-prefeito.

PMJ não falou, e nem lhe foi perguntado, o motivo que fez sua tia, Maria Luiza Marinho, ser substituída de última hora como candidata a vice-prefeita em 2016.

Por não ser filiada a nenhum partido político, e apresentar-se como integrante do MDB, a lambança causou um estrago enorme na campanha oposicionista de então, tornando gravíssimo o ato proporcionado pela família Marinho.

Apesar das contradições, incoerências e de não ser muito claro em alguns momentos em sua live, o vice-prefeito deixou de lado o destino das suas indicações políticas na atual administração, e que após o rompimento ficaram sem a cobertura do padrinho.

Nesse ponto, o pai do vice-prefeito ainda pode lhe ajudar, pois tem uma importante carta na manga.

Amigo de longas datas do agora governador Carlos Brandão, onde estudaram juntos no Colégio Batista, Paulo Marinho fez parte de uma seleta lista de convidados para a sua posse ocorrida no último sábado. “Honrado pelo convite para o ato de posse do meu amigo e colega de Colégio Batista, por longos e duradouros anos, Carlos Brandão”, anotou PM em suas redes sociais fazendo questão de publicar o convite da assessoria do governador.

Amigo de Carlos Brandão, Paulo Marinho fez parte de um seleto grupo
de convidados para a posse do governador

Com a divisão de cargos na estrutura do governo do Estado em Caxias a ser feita nos próximos dias, e com a forte ligação entre a família do vice-prefeito e o governador Carlos Brandão, os marinhos podem ter um generoso guarda-chuva para garantir que os aliados que estavam instalados na Prefeitura de Caxias não fiquem num incômodo sereno.

Política é mesmo uma caixinha de surpresas...

0 comentários:

Postar um comentário