COERÊNCIA HISTÓRICA - Em artigo publicado em 2014, Chico Leitoa expôs tratativas do PDT na eleição daquele ano no Maranhão

15.2.22

PDT do Maranhão: uma decisão a altura de sua história

É na adversidade que se revelam as grandes virtudes. De repente o PDT do Maranhão se viu às voltas com um problema no mínimo complicado. Depois de dois anos anunciando que indicaria o Vice na chapa de oposição encabeçada por Flávio Dino, tudo combinado, inclusive já ter escolhido um nome com história e respeito no partido, o bom caráter Márcio Honaiser, fomos submetidos a um grande constrangimento pois o PSDB se aproximou e propôs apoio, mas exigiu a indicação de Carlos Brandão a Vice. Forçando uma repactuação, teoricamente aumentar as chances de vitória na complicada eleição para o governo do Maranhão. 

Qualquer gesto do PDT do Maranhão se traduziria na consolidação ou num baque sem precedentes para a oposição ou mesmo num tiro certeiro no grupo dominante.

Estava portanto nas mãos do PDT do Maranhão, uma grande responsabilidade. Ou discutir fortemente na tentativa de digerir o problema e depois enfrentar a direção nacional extremamente chateada pelo não cumprimento do compromisso ou radicalizar e colocar mesmo fora de tempo, uma candidatura própria uma vez que o outro caminho (convite do PMDB ofertando a vaga de Vice e vários espaços no governo que estava em curso), de cara foi matéria vencida pela opinião da maioria esmagadora dos Companheiros. Restou portanto, depois de exaustivas reuniões, o posicionamento a ser homologado no mesmo local e data da convenção nacional na sede do partido em Brasília, que contou inclusive com a presença da Presidenta Dilma, celebrando o apoio do Partido à sua reeleição, numa aliança com o PMDB, exatamente o Partido que no Maranhão tentava de todas as formas ter o PDT no seu leque de aliança. Dilma fez um discurso, claro, falando das suas dificuldades e avanços, mas principalmente como ex-pedetista, e em tom de emoção reviveu sua convivência com Brizola. Naquele momento, percebi que mesmo tendo o desejo do alinhamento do PDT do Maranhão com o PMDB, dificilmente faria carga pois naquele instante se traduzia algo ligado a sentimento, e a nível de Estado entrava em cena a cassação e as circunstancias da morte de Jackson, o grande representante da oposição maranhense nos últimos tempos. 

De volta ao Maranhão fizemos uma reunião na sede do PDT para tratativas finais, sob a liderança do então Deputado Federal Weverton Rocha e lá esteve presente o então candidato Flávio Dino que de forma humilde pediu nossa compreensão e que sem ressentimentos o ajudasse a vencer. Um militante do partido ao se manifestar se dirigiu da seguinte forma; Flávio, hoje todo mundo aqui tá cheiroso, espero que depois de eleito não passemos a ser fedorentos… rs. 

A âncora do partido portanto, é a história e o legado dos seus grandes líderes e o foco, os interesses da população.  A posição do Partido   não poderia ser outra e ela foi respeitada pela direção Nacional.

O PDT do Maranhão deu uma lição de desprendimento e se mostrou grande porque grande é sua história. Não viu somente a árvore…viu a Floresta. 

Espera-se o mesmo de todos os partidos de oposição.

Por Chico Leitoa

Junho de 2014

0 comentários:

Postar um comentário