Disputa por uma cadeira na Assembleia em 2022 pode repetir feito de 1994, quando Caxias elegeu 4 deputados

6.5.21

Pré-candidatos a deputado estadual por Caxias tem potencial para repetir feito de 1994


Nas eleições de 1994, a cidade de Caxias, já tão destacada na política maranhense por conta das refregas eleitorais aqui travadas, ganhou outro destaque no cenário estadual ao eleger 4 deputados para a legislatura 95/98.

Humberto Coutinho, Getúlio Silva, Alexandre Salem e José Gentil, todos tendo como principal base política a princesa do sertão, lograram êxito nas urnas naquele pleito e reafirmaram a importância do município no jogo do poder no MA. 

Pelo andar da carruagem nesse início de 2021, já temos vários postulantes ao cargo de deputado estadual se movimentando abertamente ou sendo especulados nos bastidores.

Teódulo Aragão

Coube ao vereador caxiense Mário Assunção o pontapé do jogo político das próximas eleições ao fazer contundente discurso na Câmara propondo o nome do presidente da Casa, vereador Teódulo Aragão, como candidato a deputado estadual. Apesar do forte discurso, Teódulo não se manifestou sobre o assunto.

Mesmo não tendo confirmado a intenção de ser candidato, mas por ser primo do prefeito e um nome viável e leve no grupo governista, rapidamente o assunto passou a ser comentado fortemente nas rodas de conversa e nas redes sociais.

Paulo Marinho Júnior

O vice-prefeito Paulo Marinho Júnior, que já disputou uma vaga na Câmara dos Deputados em duas eleições, pode tentar no próximo ano uma cadeira na Assembleia Legislativa devido a aparente disposição de Fábio Gentil lançar a filha,  Amanda, como candidata a deputada federal, o que seria natural a PMJ declinar de sua posição inicial,  que seria disputar a mesma vaga. Detentor do segundo cargo mais importante do município, o vice-prefeito tem tradição política e know how em eleições fora de Caxias, o que facilita a conquista de votos fora do seu município. PMJ também nunca fez manifestações nesse sentido, sendo a especulação do blog apenas um exercício da profissão do jornalista, mas dentro das probabilidades viáveis para as próximas eleições.

Catulé Júnior

Também do entorno do grupo governista, o secretário estadual de turismo, advogado Catulé Júnior, tem sido uma das grandes surpresas do segundo mandato de Flávio Dino e seu nome é praticamente certo como um dos auxiliares do governador a tentar uma cadeira no parlamento maranhense. Sua atuação frente ao órgão de desenvolvimento do turismo no estado colocou o Maranhão definitivamente entre os destinos dos turistas brasileiros e estrangeiros, tendo a região dos lençóis como carro-chefe dessa estratégia de exploração do enorme potencial turístico maranhense.

Já tendo disputado uma vaga na Assembleia Legislativa em 2014, Catulé Júnior tem tudo para disputar novamente o mesmo cargo. Sua interação com dezenas de gestores Maranhão afora amplia sua capacidade de firmar importantes parcerias políticas/partidárias.

Adelmo Soares

Depois do fiasco da sua candidatura a prefeito de Caxias, o deputado estadual Adelmo Soares tem pela frente a dura missão de se reeleger em 2022. Conduzindo uma campanha a prefeito no ano passado que foi marcada por fake news, Soares mostrou sua verdadeira face perante o eleitorado, o que o afasta cada vez mais de lideranças e da classe política como um todo na sua principal base eleitoral. Nem o apoio maciço de uma emissora de TV em Caxias tem conseguido alavancar seu nome entre os principais postulantes a uma cadeira na Assembleia nas próximas eleições. Apesar das dificuldades aqui levantadas, estar no mandato o beneficia e pode fazer a diferença diante das dificuldades que tem pela frente.  

Cleide Coutinho

Embora com o considerável capital político herdado de Humberto Coutinho, a deputada Cleide Coutinho não conseguiu ampliar o leque de municípios costurados pelo saudoso marido desde as últimas eleições estaduais. A cogitação do seu nome para vice-governadora, numa provável candidatura a governador de Carlos Brandão, o atual vice, que assume o governo definitivamente em abril de 22 após a desincompatibilização de Dino (que visa uma disputa a senador ou mesmo a vice-presidente numa chapa encabeçada pelo petista Luís Inácio Lula da Silva), tem de certa forma dificultado sua articulação para ampliar o grupo de apoiadores na sua reeleição. A possibilidade para Cleide Coutinho tornar-se candidata a vice-governadora foi aventada como forma de acomodar o PDT, partido do senador Weverton Rocha, e dessa forma anular sua pretensa candidatura ao governo, algo considerado pouco provável, haja vista a articulação e determinação do pedetista em conquistar o Palácio dos Leões.

Todos os nomes citados, e os prováveis caminhos que os mesmos seguirão nas próximas eleições partem da análise do blogueiro, que não recebeu de nenhum deles declarações ou algum tipo de indicação sobre suas pretensões políticas.

Apesar das dificuldades aqui levantadas entre os postulantes a um mandato de deputado estadual por Caxias, a possibilidade de vitória para muitos deles é alta e o município pode sim repetir o feito de 1994 e conseguir eleger 4 deputados estaduais.

Caso algum dos citados queira se manifestar, o espaço está aberto para esclarecimentos.

0 comentários:

Postar um comentário