Nomeação de Fause Simão pode sair a qualquer momento e premia mais um ex-integrante do grupo Coutinho no governo Fábio Gentil

1.2.21

Seja qual for o prefeito de Caxias, Fause sempre estará ao seu lado pelo bem do povo


Apesar de estar “de rosca”, a nomeação do ex-vereador Fause Simão Júnior num cargo do governo Fábio Gentil pode sair a qualquer momento.

Mesmo não estando no seleto time de elite do governo Fábio Gentil (assessores que foram nomeados em meados de janeiro com direito a salário integral do primeiro mês do ano), Fause Simão pode respirar aliviado, pois seu pedaço de poder no organograma da Prefeitura de Caxias está garantido.

Representante de uma família que atua na política há várias décadas, onde uma cadeira na Câmara Municipal parecia ser cativa, essa assiduidade com um mandato parlamentar tem esbarrado no mau humor dos eleitores nas últimas eleições. Tanto Fause como o irmão, Paulo Simão, os representantes da família nas últimas disputas eleitorais, colecionam a suplência no outrora vitorioso currículo familiar.

Esperando ser o vereador mais votado nas últimas eleições, Fause esperava também ser o próximo presidente da Câmara e (vejam só!!!) sucessor de Fábio Gentil em 2024 a ser apoiado pelo próprio.

Idolatrado pelos funcionários da Secretaria do Trabalho, que se referiam a ele (de forma espontânea, diga-se de passagem) como “grande líder”, esses servidores tinham em comum uma verdadeira paixão por Fause Simão. Nas redes sociais dessa turma, as referências ao “grande líder” vão de amor sem limites a citações de carinho e ternura, num misto de paixão que chega a ser motivo de comentários e uma pontinha de inveja da classe política que anseia em ter aquele tipo de manifestação dos seus apoiadores.

Encarando a suplência de vereador pela segunda vez na outrora saga vitoriosa da família na política local, em nenhum momento, mesmo que na pior das hipóteses, Fause ficará ao relento no governo Fábio Gentil. Apesar de não fazer parte do time de elite do governo municipal, continuará ocupando um importante cargo na Prefeitura de Caxias.

Mesmo sem recursos próprios, a Secretaria do Trabalho, que Fause já ocupava na gestão passada, deverá tê-lo novamente como titular nos próximos anos. A afinidade de Simão com a pasta destinada a promover o trabalho, algo tão identificado com ele, será o casamento perfeito na trajetória desse obstinado e dedicado trabalhador do serviço público.

Sendo um dos mais próximos e fiéis aliados de Léo Coutinho na gestão 2013/2016, onde também era secretário de Trabalho e Emprego, Fause se referia a então membro da família Coutinho como “meu ídolo”. Já com Fábio Gentil, as deferências são de igual teor.

Ter feito parte do grupo Coutinho torna-se a principal garantia da permanência do secretário de Trabalho na gestão Gentil.

Ocupando cargos públicos desde a década de 1980, Fause Simão nunca experimentou um único dia como oposição. Falta no seu currículo o brilho e a emoção de fazer oposição na política caxiense.

Apesar de não estar nos seus planos, bem que ele poderia se espelhar na maioria dos ex-prefeitos de Caxias, que foram eleitos quando estavam na oposição.

Mas ver Fause Simão um dia na oposição é delírio de quem não conhece a política.

Sua vontade de trabalhar pelo povo, servindo a todo e qualquer prefeito, é maior que a vontade de ser prefeito.

Continuará e será sempre o “grande líder”, amado e idolatrado pelos seus fiéis seguidores.

Com mais um ex-integrante do grupo Coutinho garantindo seu lugar ao sol na administração, reduzem-se os cargos importantes a serem distribuídos para os correligionários mais leais ao prefeito.

É a sobrevivência política falando mais alto na montagem do segundo governo Gentil.

Fábio foi perspicaz na divisão do poder durante seu primeiro mandato.

Quem ficar de fora deve ter uma única certeza: política não é para amadores.

Para alguns, transformar-se em simples cabo eleitoral já é alguma coisa.

Para outros, não...

0 comentários:

Postar um comentário