(Conto do vigário) Apoio de Cleide a Brandão visa apenas garantir que apoiadores de Weverton Rocha não percam cargos em Caxias

8.2.22

Caso caiam nesse manjado conto do vigário, Dino e Brandão mostram logo de saída que não
estão preparados para a disputa de 2022

Existe um ditado popular que diz que “o mal do esperto é pensar que todo mundo é besta” que se aplica muito bem ao atual momento na política estadual com consequências em Caxias.

A recente declaração da ainda deputada Cleide Coutinho, de que irá apoiar Carlos Brandão como candidato a governador é nada mais, nada menos que a ratificação do conto do vigário eleitoral pra cima tanto do vice-governador quanto para Flávio Dino.

Diz lá a deputada, num vídeo divulgado por sua assessoria, que ela e todo o seu grupo, “pela confiança, pela esperança sobretudo que eu estou aqui dizendo a ele [Carlos Brandão] que eu apoiarei ele com todo amor e todo carinho”.

Em outro vídeo, Cleide Coutinho diz ainda, ao lado de Carlos Brandão e do ex-prefeito de Paraibano, Dr. Zequinha, que estará apoiando também ao projeto de Flávio Dino, que disputará a única cadeira de senador em jogo este ano.

O primeiro político a cair nesse tipo de conto do vigário coutinhiano na princesa do sertão foi o deputado estadual Márcio Honaiser, que nas últimas eleições municipais, a pretexto de uns 500 mil motivos para apoiar a candidatura a prefeito de Adelmo Soares, seria recompensado com o apoio da turma de Caxias na sua campanha para deputado federal. Honaiser, que poderia pelo menos receber o título de cidadão caxiense, teve que se contentar mesmo com o esquecimento e nunca mais foi visto por essas bandas.

O conto do vigário aplicado agora em Dino e Brandão é o mais antigo e manjado ‘desdrobo’ na política.

Quando fala em apoio do seu grupo político, Cleide Coutinho só teria influência no voto do porteiro e no diretor da sua Casa de Saúde, e tudo isso falando hipoteticamente, uma vez que na solidão da urna eletrônica tudo é possível.

Todos os apoiadores de Cleide Coutinho em Caxias, sem exceção, declaram nas suas redes sociais, em grupos de whatsapp, mesas de bar e em eventos políticos, estarem afinados com a candidatura de Weverton Rocha ao governo do Maranhão, não fazendo sentido algum a deputada falar no seu inexistente “grupo político”, uma vez que o que existe é o grupo Coutinho, que já está todo ele direcionado ao apoio da candidatura da primeira-dama de Matões, Cláudia Coutinho a deputada estadual.

A jogada do grupo Coutinho tem a clareza da luz do sol.

Querem na verdade manter os cargos do governo do Estado em Caxias. Somente isso e nada mais.

Sendo o prefeito de Caxias, Fábio Gentil, o maior apoiador de Carlos Brandão no leste maranhense, nada mais natural que os cargos públicos do organograma do governo na cidade passem a ser indicação sua, o que é a lógica e o mais natural do processo político desde que o mundo é mundo.

A declaração de Cleide Coutinho visa justamente impedir que ao assumir o governo, Carlos Brandão não faça a roda da política girar. Caso caia nesse conto do vigário de 5ª categoria, é bom desistir da política e arrumar outro meio de vida.

Até mesmo um estratégico silêncio de Ferdinando Coutinho diante da declaração do apoio da cunhada a Carlos Brandão foi plantado na tentativa de passar um verniz de sinceridade a jogada coutinhiana.

Com praticamente 100% dos cargos públicos estaduais em Caxias nas mãos do grupo Coutinho, sendo o hospital macrorregional Everardo Aragão uma espécie de comitê de campanha deles, a declaração de apoio de Cleide Coutinho mira também a manutenção do convênio milionário da sua Casa de Saúde com o governo do Maranhão, coisa de 2 milhões/mês e que tem garantido campanhas políticas sem problemas de caixa.

Carlos Brandão não é menino.

Se cair nessa, mostrará que não nasceu para a coisa...

0 comentários:

Postar um comentário