Barragem precária provoca alagamento de via de acesso ao residencial Vila Paraíso em Caxias e dano ambiental pode ser o prenúncio de uma tragédia

4.1.22

Alagamento provocou transtornos durante todo o dia


O alagamento da via de acesso ao residencial Vila Paraíso, ocorrido nesta segunda-feira (03) em Caxias, pode ter sido o prenúncio do que está por vir caso providências urgentes não sejam tomadas para estancar um grave dano ambiental que está sendo perpetrado naquela área.

O represamento de um açude em terreno próximo ao Hospital Macroregional Everado Aragão ocasionou todo o problema que atormentou os transeuntes durante todo o primeiro dia útil do ano na Avenida Carmosina Coutinho.

Quantidade de água represada de forma precária pode provocar uma tragédia caso aconteça um rompimento 


Segundo denúncia enviada ao Ministério Público, a contenção realizada no açude foi feita até com “pneus”, o que pode, caso se rompa, “ocasionar a morte de moradores e transeuntes”.

Por sua vez, o MP expediu oficio ao Corpo de Bombeiros, à Secretaria de Estado do Meio Ambiente e ao proprietário do terreno “em que supostamente fora construído o muro de contenção” para averiguação da situação.

As imagens do local onde foi construído o precário muro de contenção e uma foto área dão um panorama claro da situação.

Caso aconteça o pior, residência do proprietário do terreno (em destaque) pode ser primeiro
local atingido com o rompimento da barragem

O alagamento da via de acesso ao residencial Vila Paraíso foi o assunto mais comentado em Caxias nesta segunda-feira, onde não faltou até meme sobre o episódio.

Até meme foi feito sobre o assunto

Apesar de muitos terem encontrado motivos para brincadeira, uma tragédia pode acontecer se as providências não forem tomadas imediatamente, uma vez que a água represada na precária barragem, caso aconteça um rompimento, pode atingir moradores das casas na região, inclusive o proprietário do terreno.

Persistindo as fortes chuvas que caíram em Caxias nos últimos dias, o dano ambiental pode se tornar assunto irrelevante e as manchetes podem ser as piores possíveis.

0 comentários:

Postar um comentário