Candidatos a vereador em Caxias que fizeram muito barulho, mas decepcionaram nas urnas

17.11.20
Paulo Marinho (517 votos), Dayana Moura (305), Adriano
Medeiros (57) e Espingarda (12 votos) decepcionaram nas urnas


Com 19 cadeiras no legislativo caxiense, 361 candidatos se colocaram a disposição para atender os anseios da população, o que dá 19 postulantes para cada vaga.

Entre os vitoriosos, qualquer percalço que tiveram foi totalmente esquecido assim que saiu o resultado final da apuração com a comemoração madrugada adentro.

Enquanto 19 felizardos comemoravam a conquista no parlamento tupiniquim, outros 342 candidatos se dividiam entre lamber as feridas do combate e entender os motivos de não terem obtido êxito.

Embora seja extensa a lista daqueles que não foram escolhidos pelos caxienses para representá-los na Câmara, um seleto grupo de candidatos está recebendo a atenção nas rodas de conversa da cidade por se apresentarem como praticamente eleitos ou por terem feito uma campanha estridente nas redes sociais, o que leva muitos deles a serem considerados um fiasco eleitoral.

A lista a seguir apresenta alguns nomes que, apesar de não terem sido eleitos, se apresentavam como tal ou passaram os últimos anos fazendo muito barulho via redes sociais e decepcionaram assim que a contagem dos votos foi encerrada.

Abre a lista a vereadora Aureamélia Soares, que na verdade disputava duas eleições, sendo uma para vereadora e outra para primeira-dama, mas que só recebeu 597 votos e não foi reeleita. Os vereadores Edilson Martins, com 361 votos e Repórter Puliça, com 170 sufrágios, também tiveram performances bem aquém do esperado e não renovaram o mandato. Taniery Cantalice, ex-vereadora que tentou retornar ao parlamento, só obteve 188 votos e perde a segunda eleição seguida.

Paulo Marinho, ex-prefeito e ex-deputado, que corria nos bastidores como tendo de 6 a 8 mil votos e que isso elegeria uma bancada de vereadores do PSDB, teve que se contentar com 517 votos. Marinho usou as redes sociais de forma intensa para atingir o maior número de eleitores e foi também o único candidato a vereador com um jornal de campanha feito em material de alta qualidade distribuído aos milhares na cidade e na zona rural, mas que não sensibilizou o eleitorado.

A dupla do PTB, Dayana Moura e Adriano Medeiros, que se apresentava com superpoderes, não logrou êxito na empreitada de super-heróis dos cinemas para tentar adentrar na Câmara. A mulher maravilha não teve mira no seu laço mágico para atrair eleitores suficientes e conseguiu apenas 305 votos. Já o super-homem, que no cinema só é barrado pela kryptonita, mostrou ser um verdadeiro Sansão, pois o corte de cabelo na máquina 1 na véspera do pleito tirou-lhe as forças e os votos, pois só foi lembrado por 57 eleitores.

Os petistas Ney Jefferson, Chico Sousa e Jota Mota, que deixaram de acompanhar os demais candidatos do partido que marcharam com Fábio Gentil, amargaram o preço dessa decisão. Ney Jefferson recebeu 299 votos e Chico Sousa apenas 71. Fazendo uma campanha em que defendia os direitos da mulher, Jota Mota convenceu apenas 17 pessoas para representá-las na Câmara.

Valdir Rios, outro que abandonou o barco do prefeito Fábio Gentil para ser acolhido nos braços do Gordin, colheu o preço da sua decisão ao receber apenas 17 votos.

Encerrando a lista tem o representante do MDB na zona rural de Caxias. Com apenas 12 votos, o candidato Espingarda deu um tiro que, literalmente, saiu pela culatra.

1 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Para mim, a comédia foi o Adelmo com sua pesquisa falsa, que quando chegou a hora da verdade a chibata comeu. E tanto ele como sua esposa Aureamelia Soares nem foram humilde, para pelo menos agradecer os votos q receberam, isso mostra o tipo de gente q caso ganhasse iria ser nessa prefeitura. Então como diz um ditado que: a voz do povo é a voz de Deus, reelegemos o nosso humilde e trabalhador Fábio Gentil q desejo assim como na primeira gestão, uma excelente e abençoada segunda gestão.

    Valeu Claudio Sabá continue assim garoto seu blog é show.

Postar um comentário