Governo leva assistência técnica para produtores de arroz de Pindaré – Mirim

1.12.15
Governo leva assistência técnica e extensão rural para produtores de arroz de Pindaré – Mirim.  Cerca de cem famílias do povoado Boi Amontado, no município de Pindaré Mirim cultivam arroz de várzea numa área de 120 hectares com foco na preservação ambiental. Os agricultores familiares recebem assistência técnica da Agencia Estadual de Defesa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), órgão vinculado à Secretaria de estado de Agricultura Familiar (SAF). 

De acordo com o gestor da Regional da Agerp, no município de Santa Inês, Márcio dos Santos, o arroz de várzea cultivado em Pindaré é de 600 hectares sendo o arroz aromático e diamante as principais cultivares produzidas livres de agrotóxicos. “A produção chega a 12 toneladas por hectare e os agricultores comercializam nas usinas e comércio local e da região. O arroz é o meio de sobrevivência dos agricultores do município,” contou o gestor.

O Brasil ocupa posição de destaque na produção de arroz, sendo um dos maiores produtores deste grão no mundo. Por ser um país com grande dimensão e com diferentes tipos de clima, solo e relevo, cada região tem uma forma de cultivo diferenciada.

No Maranhão, em específico, no município de Pindaré, a produção de arroz de várzea compreende cinco campos agrícolas, Lago de Areia, Zé Maria, Alto do Bode, Tora o Pau e Macará (no povoado Boi Amontado). Todos esses lagos, no período chuvoso é usado para pesca artesanal das famílias, por isso o cultivo é feito com foco na preservação ambiental.

Para o secretário de Estado da Agricultura Familiar (SAF), Adelmo Soares, o Brasil é reconhecido como um dos maiores consumidores de alimentos com agrotóxicos e a produção de arroz orgânico em Pindaré representa um avanço para a agricultura familiar sustentável.

Nosso arroz é um arroz livre de agrotóxicos e sem adubação orgânica produzido naturalmente nas várzeas. O arroz é muito pesquisado pela EMBRAPA por compreender a importância desse tipo de cultura,” disse o secretário. 

0 comentários:

Postar um comentário