Maranhão é o primeiro Estado do Brasil a realizar a conferência Territorial de Assistência Técnica e Extensão Rural (CEATER)

13.10.15
O Maranhão sai na frente com relação aos outros estados do Brasil realizando a primeira conferência territorial de Assistência Técnica e Extensão Rural (CEATER) do Cerrado Amazônico que é etapa essencial para a realização da Segunda Conferência Nacional de Assistência técnica e Extensão Rural na Agricultura Familiar e Reforma Agrária (CNATER) que será realizado em 2016 no Distrito Federal. O evento aconteceu neste sábado (10), no auditório da Feira de Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Território Cerrado Amazônico - Agritec, em Açailândia e contou com a presença de aproximadamente 80 pessoas da sociedade civil organizada, produtores rurais e do poder público.

O objetivo da conferência é definir estratégias e ações prioritárias para promover a universalização da Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) pública e de qualidade aos agricultores e agricultoras familiares do Maranhão, por meio do diálogo e interação entre sociedade civil, governo e representações de agricultores e agricultoras familiares.

Durante a conferência os presentes aprovaram o regulamento da conferência territorial,  trataram dos três eixos temáticos gerais (eixo 1- Sistema Nacional de ATER-Fortalecimento Institucional, Estruturação, Gestão, Financiamento e Participação Social; eixo 2- ATER e políticas públicas para a Agricultura Familiar e Eixo 3- Formação e construção de conhecimentos na ATER) e trabalharam os eixos transversais (Eixo transversal “a”- ATER para mulheres rurais; Eixo Transversal “b”- ATER para juventude rural e Eixo Transversal “c”- ATER para povos e comunidades tradicionais.

Além disso, a plenária fez a eleição de 12 delegados da sociedade civil e do poder público para representar o Maranhão na 2ª Cnater que é promovida pelo MDA, pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável (Condraf) e pelo Comitê Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Cnater) e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Os delegados eleitos pelo plenário para representar o Maranhão e buscar melhorias para o agricultor e agricultora familiar foram 12, sendo 08 da sociedade civil: Patrícia Neves, Luiz Antônio Silva, Marta Silva, Eunice Costa, Luís Gonzaga Santos, Alcides Moura, Francisco de Assis Rodrigues, Letícia Silva e 4 representando o poder público, Irapoan Silva, José Alberto, Antônia Torres e Heldiane Correia. Os delegados eleitos são representantes de movimentos sociais, associações, sindicatos, setor público e diversas entidades.

Até o mês de dezembro deste ano haverá mais 13 conferências territoriais com o objetivo de abranger os 14 territórios do Maranhão.  “Essa conferência tem uma importância muito grande para nós, pois busca formas para melhorar a qualidade de vida do agricultor e de toda sociedade”, destacou o presidente do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável e Secretário Adjunto da Secretaria de Estado de Agricultura Familiar- SAF, Júlio César Mendonça.

Além do secretário adjunto, estavam presentes Vicente Mesquita, Delegado Federal do Ministério de Desenvolvimento Agrário no Maranhão (MDA), o coordenador do conselho de desenvolvimento Territorial do cerrado amazônico, Jorge Araújo e o presidente da Agência de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão- AGERP, Fortunato Macedo.

0 comentários:

Postar um comentário