Eleição para presidência da Câmara Municipal de Caxias repete a tradição de outras disputas e não deixa faltar o principal ingrediente: TRAIÇÃO

27.10.14
Esperava-se na eleição para escolha do novo presidente da Câmara uma disputa diferente daquela ocorrida no apagar das luzes de 2012. Naquela oportunidade, Fábio Gentil tentava ser presidente, com o compromisso firmado previamente por Humberto Coutinho, e foi traído por alguns colegas e pelo próprio prefeito.

Mas naquela eleição na Câmara HC podia usar a desculpa de que não poderia dar força para Fábio, pois este poderia crescer no cenário político local e usar o cargo para impulsionar sua candidatura de deputado estadual. Com esse enredo, o então prefeito usou sua força para trair o aliado na Câmara e garantir a vitória de Ana Lúcia.

Mas na atual disputa não existe risco de nenhum dos postulantes ao cargo de presidente do legislativo caxiense querer subir algum degrau no universo eleitoral de Humberto Coutinho.

Embora fosse uma disputa entre aliados, e que não representa nenhum risco para o deputado eleito Humberto Coutinho, a traição de 2012 voltou a ‘passear’ pelos corredores da Câmara Municipal.

Tal qual em 2012, o enredo foi seguido a risca e os traidores na Casa do Povo são os mesmos.

O desfecho final acontecerá na próxima quarta-feira, 29.

Quem quiser saber e souber ler por trás de olhares, afagos e apertos de mãos dos judas do parlamento, deve comparecer na Câmara nesta quarta-feira.

Genival “Motopeças” e Jerônimo Ferreira, juntamente com outros, estarão lá para o início dos trabalhos.

Não percam.

2 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    É traição, é traição, é traição... dá pra fazer uma música. Eita q esses mininos da câmara não brincam na hora H e tchum...

  1. Anônimo disse...:

    Bem, se entendi, Ana Lúcia continuará presidente. Acredito que o vereador Mário Assunção foi traído pelos seus pares. Sabá, dá o nome da turma da trairagem

Postar um comentário