(Buraco é mais embaixo) Proprietários de jazigos de cemitério que agora é posto de combustível se manifestam e querem esclarecimentos

21.1.22

Apesar de parecer cômico, empreendimento feito onde funcionava um cemitério possui enredo
de novela antes mesmo de iniciar suas atividades

A postagem do blog intitulada “Em Caxias, ‘morre’ um cemitério e ‘nasce’ um posto de combustível no local” (reveja aqui), deu o que falar e despertou a curiosidade de muitos por conta do inusitado e também a revolta daqueles que haviam adquirido jazigos e que lá enterraram membros de sua família.

A advogada Iêda Maria Morais procurou o titular do blog para registrar que adquiriu um jazigo no local e que lá repousam os restos mortais de um irmão. A advogada, que é ex-presidente da subseção da OAB/Caxias e também ex-delegada da Mulher no município, mostrou-se indignada com a situação e disposta a acionar o poder judiciário em busca de justiça. “Cheguei até a falar com uma pessoa que se apresentou como representante do empreendimento e solicitei que providenciassem a transferência dos restos mortais do meu irmão para outro cemitério no intuito de lhe dar o merecido descanso”, esclareceu a advogada que no entanto não recebeu retorno de tal pessoa. “Tenho toda a documentação de aquisição do jazigo”, diz ela.

A advogada também sabe da ligação familiar de outra pessoa enterrada no cemitério, que seria um irmão do ex-vereador Chocolate.

Como não foram comunicados da transferência dos restos mortais dos seus entes queridos, presume-se que os mesmos continuam e irão continuar no local, uma vez que o trabalho de terraplanagem feito na obra impossibilita a identificação e a localização dos antigos jazigos.

O caso, além de inusitado, apresenta também uma sucessão de atos estranhos.

Causa perplexidade o trâmite da documentação de compra e venda, a consequente transferência da propriedade do referido imóvel ou a mudança na razão social do empreendimento de cemitério para posto de combustível no cartório e no setor de tributação do município, afinal de contas não é todo dia que chega alguém nesses órgãos em busca de fazer esse tipo de regularização.

Infelizmente, o que parecia cômico envolve dor e tristeza de quem se vê diante de tão revoltante situação e tem todo o direito de procurar reparação judicial.

Que seja feita justiça...

1 comentários:

  1. Lilana Soares disse...:

    Os restos mortais de meu avô Enos Carvalho Guimarães (Tenente da Aeronáutica), estão sepultados nesse cemitério, temos toda a documentação de propriedade do jazigo e nos juntaremos junto a Dra Ieda para cobrarmos por medidas legais para solucionarmos esse absurdo e descaso.

Postar um comentário