Márcio Jerry: “Moro fraudou a eleição e ganhou um Ministério”

30.7.19

A última revelação trazida pelo The Intercept e Folha de São Paulo, no que ficou conhecido como escândalo da Vaza Jato, mostra que Sérgio Moro fez política com delação de Antônio Palocci dias antes do primeiro turno, ajudando a eleger Jair Bolsonaro (PSL), para em seguida ganhar o cargo de ministro da Justiça. O caso indignou parlamentares e democratas.

Segundo o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB-MA), o ex-juiz federal deveria ser convocado outra vez para prestar esclarecimentos na Câmara e no Senado. “Moro fraudou a eleição e ganhou um Ministério, ele deve explicações ao país, deve até explicações à Justiça. O que já se sabe caracteriza claramente uma vergonhosa armação política comandada pelo atual ministro da Justiça, que se escondeu no “combate à corrupção” para corromper o sistema político”, declarou.

Jandira Feghali (PCdoB-RJ), lembrou que Laura Tesler, procuradora que Moro chamou de “fraca”, aparece na reportagem justamente reiterando que havia falta de provas na delação de Palocci. “O ex-juiz covarde agiu politicamente e desonestamente na divulgação da delação de Palocci próximo do primeiro turno presidencial”, afirmou a deputada.

O depoimento de Palocci foi tomado em abril de 2018, mas divulgado apenas em outubro, dias antes da eleição. Na época, o então juiz foi acusado de querer prejudicar a candidatura de Fernando Haddad (PT). (Do blog do John Cutrim)

0 comentários:

Postar um comentário