TERRA ARRASADA!!! Prefeitura de Caxias fecha projeto Resgate no Residencial Eugênio Coutinho e deixa centenas de crianças e adolescentes desassistidos

27.10.16
Fechamento de programas e atraso salarial injustificado lembram a tática de
terra arrasada (Imagem ilustrativa)

Pelo visto, o governo que se finda em Caxias está fazendo a política de “terra arrasada” antes de entregar a administração para o sucessor.

A tática de terra arrasada foi usada pela Rússia em dois momentos da história: durante os conflitos com a França de Napoleão e a Alemanha Nazista. O termo “terra arrasada” consiste basicamente em destruir tudo o que existe para que a tropa inimiga que adentra o território encontre um ambiente hostil para administrar.

Como se já não bastasse a falta de pagamento para zeladores e vigilantes nos programas ligados a Assistência Social, os moradores do Residencial Eugênio Coutinho foram informados no início da semana que o Programa Resgate, que funciona no local, e que atende crianças a partir de 2 anos de idade e adolescentes, será fechado nesta quinta-feira, 27.

O Projeto Resgate proporciona aulas de dança, de música, capoeira, artesanato e ainda aulas de reforço escolar. “Tirando o projeto daqui os meninos ficam desocupados, ficam soltos na rua, podem cometer coisas erradas. Aqui abriga adolescentes, tem o reforço que eles precisam. Nem todas as mães podem botar seus filhos no reforço”, diz Nilma, moradora do Eugênio Coutinho e que tem uma filha de 2 anos que é beneficiada pelo projeto e está preocupada com esse fechamento, pois o Resgate, desde que chegou ao bairro, mudou a rotina e a esperança das famílias já que o projeto ocupa uma parte do tempo das crianças.

Depois da notícia do fechamento, as mães do Residencial Eugênio Coutinho querem fazer uma manifestação e explicações da Secretaria de Assistência Social. “A gente confia nossos filhos aqui que é para eles se adaptarem pra quando chegar a idade mesmo de ir pra creche, poder se enturmar com as pessoas e também pra quando a gente quiser sair de casa pra trabalhar, poder ter um lugar pra deixar nossos filhos”, disse uma mãe em entrevista à TV Mirante.

Em contato com a TV Mirante em Caxias, a secretária de Assistência Social do município, Fátima Ligoury, informou que o prédio onde funcionava o projeto Resgate da Cidadania no Residencial Eugênio Coutinho, pertence a Construtora Amorim Coutinho, e foi cedido para a Secretaria de Assistência Social, porém, segundo a secretária, “como a Prefeitura está em fase de transição, a Seretaria já está desocupando o espaço para limpeza e devolução”.

De acordo com a equipe de jornalismo da afiliada da Globo em Caxias, Fátima Ligoury disse ainda lamentar o fato das crianças ficarem sem as atividades, mas entende que o espaço serviu com eficiência durante os 4 anos de existência do projeto.

Bem, quando estavam sendo construídos os conjuntos habitacionais através do Programa Minha Casa, Minha Vida, era falado abertamente entre a classe política da cidade, que os prédios onde funcionavam os escritórios da Construtora que tocava a obra, seriam doados ao município para a implantação de escolas, creches ou projetos da administração tão logo as chaves das casas fossem entregues.

Pelo visto, esqueceram de assinar o termo de doação.

Ou será que não...

Com informações da TV Mirante Cocais

0 comentários:

Postar um comentário