Vereadora Benvinda Almeida revela baixo número de atendimentos no Hospital Geral e questiona destino dos recursos daquela unidade de saúde

12.4.16
Vereadora Benvinda Almeida
A vereadora Benvinda Almeida lembrou nesta segunda-feira, 11, na Câmara Municipal, os discursos feitos meses antes em que os oposicionistas alertaram para o possível fechamento do Hospital Geral do Município assim que o Hospital Regional fosse inaugurado. Para a vereadora, embora não tenha sido fechado, os atendimentos no HGM diminuíram sensivelmente. “O Hospital Geral está ficando totalmente abandonado”, denunciou a parlamentar.

Funcionando por muito tempo como único hospital público da cidade que fazia cirurgia, de acordo com Benvinda, “hoje, só tem cirurgia 2 dias na semana, porque tem um médico que disse que não iria para o Hospital Regional. E os outros médicos, estão aonde?”, questionou.

A oposicionista revelou ainda que os médicos que ainda restam no HGM “apenas recebem os pacientes e encaminham para o Hospital Regional”. Benvinda questionou também o fato de Caxias possuir 160 mil habitantes e não ter um Hospital para atender a demanda de centenas de cirurgias e do crescente número de pessoas acometidas com a recente crise de virose na cidade. “Tudo está indo para o Hospital Regional e eu fico me perguntando como é que tá esse povo todinho com essa crise dessa virose que tem na cidade?”, perguntou ela.

Estendendo suas dúvidas sobre a saúde de Caxias, a oposicionista questionou ainda sobre o paradeiro dos recursos recebidos pelo município para o setor. “Como vai ser justificado o dinheiro que o município recebe tanto de Caxias quanto dos outros municípios, se não está operando, se não está atendendo, pois desde que o Hospital Regional inaugurou, nunca mais foi feito uma cirurgia de ortopedia no Hospital Geral e isso são perguntas que a gente tem que buscar respostas”, cobrou Benvinda.

Minutos depois, o vereador Jerônimo Ferreira até que tentou defender o governo Léo Coutinho, onde citou o caso de uma senhora, moradora do povoado Barcelona, que teria sido encaminhada por ele para um procedimento cirúrgico no HGM. “Ontem mesmo eu estive lá no Hospital Geral e fui deixar a senhora Ana Célia, lá da Barcelona, que fez cirurgia no Hospital Geral”, revelou Jerônimo acrescentando ainda que outra amiga dele está no HGM se recuperando de procedimento cirúrgico. Citando por diversas vezes o nome de Benvinda, Jerônimo negou-lhe a palavra, o que provocou a revolta da parlamentar e um pequeno bate-boca foi travado entre ambos.

Embora não tenha sido fechado, conforme a oposição temia no final do ano passado, o Hospital Geral do Município sofre com o descaso cada vez mais acentuado das suas instalações e da falta de médicos, o que aponta para um lento esvaziamento da função no atendimento da população caxiense.

0 comentários:

Postar um comentário