Fábio Gentil mostra que recursos na saúde de Caxias são muitos e que o problema é a má gestão de Léo Coutinho

17.11.15
“O governador tem feito a sua parte”
“Recursos tem demais, o problema é falta de gestão”

Fábio Gentil mostrou a fartura de recursos enviados pelo governo 
do estado para Caxias e disse que o problema 
é falta de gestão. 
O vereador Fábio Gentil usou a tribuna da Câmara Municipal de Caxias na noite desta segunda-feira, 16, para protestar contra o estado de calamidade da saúde do município.

Iniciando sua fala relatando a demora (de mais de 2 anos) para reformar os postos de saúde, Gentil continuou alertando sobre o risco iminente  do fechamento do Hospital Geral do Município. “Se nós, os 19 vereadores nos unirmos, isso pode acontecer, pois o que ouvimos nos bastidores é que vão anunciar primeiro uma reforma para em seguida fechar aquela unidade de saúde”, alertou o vereador que afirmou ainda que, “caso isso aconteça, farei como fiz no passado, quando quiseram fechar aquele Hospital, coloquei o povo na rua pressionando e impedimos o seu fechamento”.

Vereadora Benvinda Almeida acredita que possível 
fechamento do HGM para reforma é 
coisa pra boi dormir”
O oposicionista lembrou ainda que o grupo político dizia ainda que o problema da saúde era o governo Roseana Sarney. “Ainda é Roseana?”, perguntou ele. “O governador é Flávio Dino e Caxias talvez tenha sido a cidade que ele mais visitou, mas eu não vou criticar o governador, pois ele tem feito o seu papel, tem feito a sua parte e enviado recursos para Caxias”, reconheceu FG enumerando os valores enviados para o município na gestão de Dino.

Falta de gestão e dinheiro sobrando na saúde de Caxias

Com relatório do Portal da Transparência do governo do Estado em mãos, Fábio leu um a um os valores destinados ao município que chegam a mais de R$ 16 milhões de reais de Fundo a Fundo e mais cerca de R$ 700 mil reais divididos entre Farmácia Básica e contrapartida do Serviço Móvel de Urgência. “São recursos enviados como ajuda somente do governo do Estado, não são recursos do governo federal”, ressaltou o parlamentar que leu o relatório e sendo ouvido atentamente pelos colegas e pelo público.

Após a leitura do relatório, Fábio questionou: “é falta de recursos? É claro que não. Isso é falta de gestão”.

Repasses feitos pelo governo Flávio Dino para saúde de Caxias em 2015
(clique no documento para visualizar melhor)
Repasses feitos pelo governo Flávio Dino para saúde de Timon em 2015
(clique no documento para visualizar melhor)


                                                                                                                                 Comparação  com Timon

Para mostrar a falta de gestão no município, o oposicionista fez uma comparação com Timon, onde, segundo ele, “com população superior a Caxias, recebeu menos de 10% que o governo Léo Coutinho do atual governo e lá o prefeito também é do lado do governador”, lembrou ele acrescentando que no município vizinho, “não passa o caos que Caxias passa, pois lá não tem nenhuma maternidade da morte, então problema de Caxias não é falta de dinheiro não, é falta mesmo de gestão e eu fico a me perguntar: aonde é que é colocado tanto dinheiro?”.

Pedindo um aparte ao discurso do colega, a vereadora Benvinda fez um resgate da época do fechamento do Sinhá Castelo e do Socorrão João Viana e fez vários questionamentos sobre o risco de acontecer o mesmo, abrir um hospital e fechar outro. “É conversa pra boi dormir essa história de fechar pra reforma”, alertou ela que ressaltou que os recursos relatados pelo colega no discurso, “vem fundo a fundo pelo governo federal e se duvidar é pra mesma coisa, o Samu e a Farmácia Básica, pois eu já vi isso, ele faz a compra, recebe duas vezes e presta conta com a mesma nota fiscal, pois isso foi feito na reeleição do Humberto Coutinho [2008]”, disse a vereadora alertando que, “isso é coisa de Ministério Público, de Polícia Federal”.

Olhando que nos recursos enviados pelo governo Flávio Dino existem vários repasses para o Samu, Fábio Gentil falou nos salários pagos aos motoristas das ambulâncias. “Pra se ter uma ideia, os motoristas do Samu ganhavam 2 salários mínimos e hoje, o senhor prefeito é tão bondoso, que aumentou para 1 salário e ainda querem que as vezes eles trabalhem até 24 hora e sem direito a nada”.

Comentando o discurso batido dos governistas, o da obrigatoriedade do pagamento em dia dos salários, Fábio lembrou que isso não cola mais. “Muitos vereadores falam aqui que o prefeito paga em dia, mas isso é obrigação, ele não está fazendo favor, não, é obrigação, mas ele paga mal,  muito mal”.

Quanto ao possível fechamento do HGM, o parlamentar voltou a afirmar do risco que a cidade corre caso isso aconteça. “Se fechar o Hospital Geral Gentil Filho vai piorar e eu estou avisando com antecedência, vai piorar, porque falta de recursos não é, aqui o problema é um só: gestão”.

Só vai mudar quando o povo de Caxias botar esse prefeito pra fora”, finalizou.

2 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Sabá,a Casa de Saúde vai passar a receber(além do q já recebe), mais de R$800.000,00 por mês,pra atender não sei oq??investiga aí..

  1. Anônimo disse...:

    Niguem ver uma obra pública s todo vapor trabalhando dia noite, mas vc passando ali na av sen Alexandre costa está uma obra a todo vapor que é uma construção dos coutinhos, é uma vergonha e ninguém faz nada. Acorda meu povo de caxias vamos dizer a esses coutinhos fora coutinhos fora coutinhos

Postar um comentário