(Convite ao suicídio) Humberto Coutinho joga pesado com correligionários para garantir reeleição de sobrinha na Câmara Municipal

25.9.15
Aliados estão desconfiados das supostas boas intenções de 
Humberto Coutinho em garantir a reeleição da sobrinha
Nos últimos dias, Humberto Coutinho jogou todo o seu ‘charme’ para cima dos correligionários em Caxias para tentar garantir a reeleição da sobrinha, Thais Coutinho, na Câmara Municipal.

Experiente na formação de coligações, HC viu que a maioria dos vereadores da sua base aliada também já aprendeu que na política, o sofrimento de hoje, além da dor provocada, ensina muitas lições.

Considerada desde já de “a coligação da morte”, aquela que terá a vereadora Thais Coutinho como candidata provoca calafrios nos vereadores, que estão correndo léguas de distância do partido que a parente do presidente da AL estiver.

Sabedor do temor que a sobrinha provoca na base aliada, Humberto Coutinho tem tentado insistentemente atrair postulantes ao mandato de vereador de baixo e médio potencial para fortalecer a futura coligação da sobrinha.

No esforço concentrado de HC, o alvo são aqueles recém-chegados ao grupo e mais precisamente os mais inexperientes.

Para se ter uma ideia de como a inexperiência na complicadíssima costura partidária pode jogar por terra anos de trabalho político, além de muito dinheiro, uma das mais novas aquisições do grupo Coutinho, o médico Flávio Rocha, foi protagonista de uma cena patética quando questionado por Humberto Coutinho para qual partido gostaria de ir. “Para onde o senhor quiser”, respondeu o imaturo político deixando o próprio deputado constrangido, além dos demais medalhões presentes na reunião ocorrida no início da semana na Casa de Saúde que ficaram perplexos com a falta de bom senso de um postulante a cargo eletivo.

Para se ter uma ideia da ingenuidade do médico Flávio Rocha, ele foi o único dos correligionários de HC a deixar nas mãos do próprio o seu destino partidário.

Se Humberto Coutinho conseguir pelo menos 10 pré-candidatos a vereador com a disposição de Rocha, a reeleição de Thais Coutino estaria garantida.

Mas não é bem assim.

Para onde olha, Coutinho está enfrentando problemas para garantir a reeleição da parente.

A única alternativa que terá a partir de agora é forçar a barra com os nanicos para que aceitem uma coligação suícida e com isso garantir a reeleição da sobrinha.

Para se ter uma ideia do esforço coutinhiano para garantir a permanência do sobrenome na Câmara, além de Thais, a futura “coligação da morte” terá os vereadores Edilson Martins, Antonio Luis Assunção e a Ana Lúcia Ximenes, no que faz dela o pior lugar do mundo para quem não tenha muito dinheiro e muito capital político para gastar na conquista pelo voto.

Pensando nisso, a nanicada do grupo Coutinho pega em lanças quando consultada sobre a possibilidade de pelo menos passar perto do partido em que Thais Coutinho estiver dando o ar de sua graça.

Os últimos dias tem sido de intensa negociação e corre-corre de bastidores.

Até agora os mais experientes estão se dando bem e tratando de preservar as chances de conquistar um mandato de vereador.

A força e a influência de Thais Coutinho na estrutura da Prefeitura de Caxias e nos órgãos do Governo do Estado está custando caro e dificultando a atração de pré-candidatos para garantir sua reeleição.

Humberto Coutinho está pagando o preço e terá que aumentar a oferta para os aliados que queiram entregar anos de esforços para garantir a presença da família do presidente da AL na Câmara Municipal.

Será que vale a pena?

7 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Se o povo de Caxias fosse consciente e não dependesse tanto das "tetas" da prefeitura,faria uma renovação na câmara de Vereadores e colocaria um prefeito que não fosse nem da base dos Coutinho e nem dos Marinho.Mais acho muito difícil de acontecer.

  1. Anônimo disse...:

    Flavio Rocha é mais um subserviente do poder, sem posicionamento politico e pessoal vive querendo se dar bem, uma das vitimas mais recente foi o seu criador Dr. Helton Mesquita, depois que o homem criou uma penugem meteu o pé em Helton Mesquita e passou a cantar de galo...

  1. Anônimo disse...:

    Eu fico perplexo em saber que Caxias não tem outra opção. Como é que pode uma cidade ter tanto AZAR com políticos? Um pior do que o outro, são incapazes de amar e trabalhar de verdade pela Princesa do Sertão. A imprensa de Caxias é esquisita e os profissionais vivem trocando de lado, é uma falta de ética que não tem tamanho.

    Obs: Realidade de Caxias :

    Humberto Escroutinho dono da Facema e do Sistema ou grupo Sinal Verde de Comunicação.

    Paulo Malinho, dono da Fai e do Sistema Veneza de comunicação.

    Por incrível que pareça não existe curso de comunicação social na Facema e não não existe curso de comunicação social na Fai. Isto é o cúmulo do contraditório.

    PAZ!


  1. Uma disputa com mais de tres candidatos em Caxias, só iria beneficiar quem já está no poder.

  1. Anônimo disse...:

    Temos q dizer não aos coutinhos e não aos marinhos, ja são 11 anos de chibatadas dos coutinhos vamos colocar pessoas que não tenha esses sobrenome

  1. Anônimo disse...:

    Falando em descaso com a coisa publica e má utilização dos prédios públicos, vejam só se tem cabimento não existir um IML (Instituto Medico Legal) em Caxias por falta de prédio publico que sirva de Instalação do tal IML, quando na verdade o prédio do antigo mercado municipal do bairro Nova Caxias, que hoje serve de capela ao Beato Vereador Leo Barata, poderia servir pra abrigar o IML de Caxias, haja vista os caxienses e moradores das cidades vizinhas serem obrigados a se dirigir ate a cidade de Timon pra poderem fazer um exame de corpo delito, arcando com despesas de locomoção e alimentação do próprio bolso, que diga se de passagem, ja temos despesas demais quando buscamos a reparação pra nossos próprios direitos. Exemplo são as varias mulheres que necessitam realizar um exame de corpo delito diante de agressões sofridas diariamente em nossas cidades vizinhas a Caxias.
    Ora, enquanto prédios públicos servem de instalação a entidades privadas como o caso da Capela ao Beato Leo Barata, a prefeitura de Caxias paga vultosas soma a proprietários de casas com alugueis desnecessários como exemplo a secretaria municipal de saúde na rua do porto grande, antiga rua da ponte de taboa, e outra como a casa ao lado do clube alecrim que deve ser muito carro o aluguel e muitas vezes feito sem licitação conforme deveria buscar o ministério publico um levantamento dos imóveis alugados pela prefeitura de Caxias e verificar a necessidade desses alugueis que custam muito ao bolso do contribuinte caxiense. Configurando em tese, em improbidade administrativa.
    Alias, a capela deveria ser desativada do prédio publico e remanejada pra propriedade particular do beato, pois a família do beato tem um prédio na Av Jerusalém no bairro Nova Caxias alugado pra uma igreja evangélica e outro fechado sem nenhuma utilidade no momento e que deveria abrigar a tal capela particular dele. Mas o mesmo prédio particular do beato so é utilizado como comitê eleitoral de 4 em 4 anos pelo mesmo.
    Poderia também servi o tal prédio que ora abriga a tal capela de beataria a um CAPS, CRAES ou ate quem sabe a um Conselho Tutelar.
    Onde anda as autoridades que zelam pela coisa publica que não enxergam tamanho descaso em Caxias??????????????????

  1. Anônimo disse...:

    Caxias-Ma de pessoas boas e honestas exceto os políticos e a Justiça.

Postar um comentário