Reforma de mercado em Caxias é mais produção e renda para agricultores dos Cocais

5.8.15
Depois de mais de 30 anos de espera, a população de Caxias, na região dos Cocais, terá de volta, em funcionamento, o antigo mercado municipal da Cohab. Em visita ao município, no dia em que Caxias completou 192 anos de adesão à Independência, dia 1º de agosto, o governador Flávio Dino anunciou, ao lado do secretário de Estado da Agricultura Familiar (SAF), Adelmo Soares, a recuperação do mercado da Cohab.

O mercado está fechado há cerca 35 anos e com uma parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Caxias o prédio será reformado e reestruturado para atender a população local e beneficiar os agricultores familiares, que terão um espaço para comercialização de seus produtos.

É uma reivindicação antiga, de pelo menos três décadas. Teremos um espaço a mais de convivência comunitária, de oportunidade de trabalho para os feirantes e comerciantes e além, claro, de fazer a ligação entre produtores e consumidores”, disse o governador Flávio Dino.

Segundo o secretário Adelmo Soares, antes não havia uma política estadual voltada para atender os anseios da comercialização agrícola, sobretudo os produtos da agricultura familiar. Hoje essa realidade começa a mudar. Ao assumir o Estado, o governador Flávio Dino determinou ao Sistema da Agricultura Familiar, composto pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (SAF) e seus órgãos vinculados, Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária (Agerp) e Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma), o planejamento do desenvolvimento do setor, levando em conta três eixos principais: a produção com assistência técnica e comercialização, a regularização fundiária e o fomento financeiro.

“Nesse eixo, entendemos que a comercialização na Região dos Cocais, necessita de um espaço apropriado para comercializar seus produtos, e o Mercado vai atender a demanda dos produtores,” disse.

Na visita a Caxias, o governador assinou uma ordem de serviço no valor de R$ 300 mil para reforma e adequação da estrutura do mercado. De acordo com o secretário, logo após os trâmites de licitação, a obra terá início, configurando um marco do governo no desenvolvimento da agricultura familiar.

O governador Flávio Dino atendeu nosso pleito, através de uma intervenção do presidente da Assembleia Legislativa, Humberto Coutinho, e com total apoio do prefeito Leo Coutinho, para darmos início à revitalização de um espaço tão sonhado pela população de Caxias e dos Cocais,” ressaltou Adelmo.

O Mercado da Cohab vai se transformar no Centro de Comercialização dos Produtos da Agricultura Familiar (Cecaf), nos moldes que os estado de Minas Gerais e Brasília adotaram, que permitirá uma comercialização adequada para os produtos e atender melhor os consumidores, garantindo maior valorização do produtos e segurança alimentar à população.

Serão beneficiadas diretamente cinco mil famílias que moram em bairros circunvizinhos ao mercado:  Cohab, Nova Caxias, Zé Castro, Mutirão I e II, Vila Bela Vista, Padre Mendes e João Viana.

De acordo com Adelmo Soares, o mercado é um patrimônio público da cidade e que está fechado servindo apenas de depósito de sujeira, mas que com a reforma o local voltará a ser um espaço de oportunidade para o desenvolvimento da agricultura familiar. “O Mercado está no coração de Caxias, num bairro populoso, e é um anseio da população a reativação desse espaço.  Acredito que será um ganho para Caxias e para a Região dos Cocais,” finalizou.

2 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Este mercado marcou uma briga nos bastidores que vc tá longe de saber.
    Essa briga só foi resolvida nos ares,quando AS e HC embarcaram no mesmo helicóptero de FD com destino a São Domingos,o que aconteceu lá eu não sei,mas aqui foi uma crise enorme. A verba estava orçada em 900 mil e foi reduzida porque HC não aceitou AS conseguir a praça da cohab e ele não conseguir a praça da chapada.
    Meu amigo,posso assegurar que o negocio foi feio,Ironaldo e Rubens Jr. Entraram pra resolver o problema.
    Vamos ver se foi resolvido mesmo.

  1. Anônimo disse...:

    kkkkkkkkkkkkkkkkk, será que a briga não foi pela a empresa venedora da licitação?kkkkkkkkkkkkk

Postar um comentário