Sabe quanto custa a incompetência do governo Léo Coutinho? Mais de R$ 300 mil reais mensais só em salário de secretários municipais

3.6.15
É praticamente impossível se descobrir o tamanho da folha de pagamento da Prefeitura de Caxias.

Quanto ao número de funcionários ociosos, que só estão formalmente empregados por conta de indicação de políticos aliados do grupo dominante, as pistas são poucas.

Saber quantos não pisam no serviço, mas que recebem religiosamente em dia, é um desafio para qualquer caxiense.

Outra dificuldade tremenda é saber quem são, quantos são e o que fazem os funcionários lotados no gabinete do prefeito Léo Coutinho, que consomem em média quase R$ 300 mil reais todos os meses.

Mas nem só de incerteza vive o mundo dos curiosos em Caxias.

Somente com salários de secretários municipais, distribuídos em 21 secretarias e outros 6 órgãos equivalentes, a Prefeitura de Caxias disponibiliza a bagatela de R$ 308 mil reais todos os meses, haja vista que com o salário de cada um desses senhores, que chega a R$ 11 mil reais (mais o SAAE, transformado recentemente numa cobra de duas cabeças, onde os dois diretores ocupam cargos com status de secretários) temos 28 autoridades municipais recebendo esse super salário.



Em Imperatriz, segunda maior cidade do Estado, as secretarias municipais chegam ao número de 14, sendo que os órgãos equivalentes são apenas 6.

Ora, se na rica e próspera Prefeitura do sul maranhense, o gestor não extrapola os gastos com seus principais auxiliares, por que na problemática e sofrida princesa do sertão, com um número menor de habitantes, o prefeito Léo Coutinho aumenta o custeio da máquina pública?

Para se ter uma ideia da falta de rumo administrativo no município, recentemente foi criada uma Secretaria de Urbanismo simplesmente para dar uma satisfação à sociedade sobre o inexplicável atraso da reforma da Praça do Panteon.

Como os tapumes que ‘vestiam’ a Panteon foram retirados e a tal reforma nunca tinha saído do lugar, o prefeito, diante das críticas nos meios de comunicação e redes sociais, tratou logo de criar uma Secretaria de Urbanismo e nela nomear como secretário um premiado arquiteto local. Foi a maneira encontrada para tentar encobrir o fiasco da reforma e produzir mídia positiva ao dizer que agora Caxias tinha um profissional a altura para embelezar as praças da cidade.

Com a medida, foi criada mais uma Secretaria no município com todas as despesas necessárias para manutenção da mesma.

Pelo jeito, Léo Coutinho não aprendeu nada de gestão desde a experiência mal sucedida numa pizzaria de Teresina.

Os caxienses sofrem na pele todos os dias as consequências de terem acreditado no então prefeito Humberto Coutinho quando o mesmo vendeu o sobrinho como capacitado para o cargo de prefeito.

Deu no que deu...

2 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    O que não dá pra entender é porque o ministério público estadual e federal não agem diante de tantas denúncias de irregularidades gritantes! Estão aqui na cidade mesmo pra que? Se não fazem nada! Isso também precisa de explicação.

  1. Anônimo disse...:

    CONCORDO COM O ANÔNIMO. MINISTERIO PUBLICO SERVE MESMO PARA QUE. NÃO AGE MESMO NEM CONTRA OS BANCOS QUE FAQZEM O QUE QUER COM SEUS CLIENTES. OTEM MESMO VI UMA SENA INUSITADA O BANCO BRADESCO AS 7:30 DA MANHÃ ESTAVA FECHADO UMA SENHORA PRECISANDO SACAR SEU APOSENTO E NADA DO BANCO ABRIR E NEM UM AVISO DANDO SATISFAÇÃO DO QUE ESTAVA ACONTECENDO.

Postar um comentário