Prefeitura de Timon e Estado querem facilitar acesso de serviços de previdência à servidores do MA

7.5.15
A proposta é atender pelo Funben e perícia médica os servidores estaduais em Timon

Uma parceria entre Prefeitura e Estado pretende atender um antigo anseio dos servidores estaduais que moram em Timon. O município entraria com a contrapartida da estrutura física para consultas periciais, ao invés dos trabalhadores se deslocarem para São Luís para realizarem o exame. Além disso, existe a proposta de credenciamento de instituições municipais e particulares em Timon para receberem o plano Funben e garantir o atendimento médico dos servidores estaduais que residem na cidade. 

As duas medidas foram discutidas nesta quarta-feira (6/05) no do Instituto de Previdência do município (IPMT), entre o Prefeito Luciano Leitoa, o secretário de estado de Gestão e Previdência, Felipe Camarão, o deputado estadual Rafael Leitoa e o presidente do IPMT, Robson Parentes.

O prefeito Luciano Leitoa agradeceu a visita de Felipe Camarão.“Fico feliz porque é importante que os gestores conheçam a realidade dos municípios. Encontramos uma situação difícil no IPMT, mas quem está à frente da gestão é que faz a diferença”.O deputado Rafael Leitoa que trouxe à Timon, o secretário Felipe Camarão ressaltou o benefício proposto. “Ao invés dos trabalhadores se deslocarem para São Luís para realizarem o exame, eles vão poder resolver aqui mesmo em Timon. E no próximo dia 19 deste mês iremos realizar um novo encontro para a conclusão do termo de cooperação técnica da perícia médica."

A professora Graça Silva comemorou o empenho em solucionar essa questão. “Graças a Deus eles resolveram fazer isso! Se der certo mesmo, vai ser um benefício muito bom, porque eu, por exemplo, passei mais ou menos dois anos tendo que ir a São Luís duas vezes no mês pra fazer um tratamento, porque aqui ainda não existe nenhuma clínica conveniada, e toda vez que preciso fazer perícia tenho que ir a pra lá. E podendo fazer tudo isso aqui mesmo em Timon vai facilitar muito mais”. (Assessoria)

0 comentários:

Postar um comentário