Matando no cansaço!!! Vereadores conseguem prorrogação para aplicação da lei que regulamenta os mototáxistas, mas não atendem as principais reivindicações pleiteadas

26.5.15
Mototaxistas chegaram esperançosos na Câmara...
"Como tirar pirulito da boca de criança". Essa foi a saída que os vereadores de Caxias encontraram para tentar acalmar a grita daqueles que se sentem lesados pela Lei sancionada recentemente pelo prefeito Léo Coutinho para legalização do serviço de mototáxi.

...E viram a oposição tentar mostrar caminhos para 
solução dos problemas enfrentados
Mais uma vez presentes na Câmara Municipal durante a sessão ordinária desta segunda-feira, 25, os mototaxistas que reivindicam alterações na Lei proposta pelo Executivo, e aprovada pela Câmara Municipal, não saíram muito satisfeitos com o que ouviram.


...Mas apesar de ouvirem com atenção a fala dos parlamentares, 
saíram de “mãos abanando”
Chegando no Parlamento após percorrerem as principais ruas da cidade num buzinaço para chamar a atenção da população, os insatisfeitos encontraram na Câmara, mais uma vez, um forte aparato de segurança, formado pela Guarda Municipal e pela Polícia Militar os esperando.

Tomando assento na área reservada ao público, os mototaxistas puderam ouvir o vereador Jerônimo Ferreira ler o relatório feito pela Comissão de Trânsito e Transportes da Câmara, não sem antes vários deles levantarem a voz reivindicando seus direitos.

E o que conseguiram os mototaxistas que lutam basicamente pela não obrigatoriedade da pintura dos veículos? Nada, caros leitores.

Estando programado o início da fiscalização dos mototaxistas para 30 de maio, os vereadores conseguiram junto ao poder executivo que esse prazo fosse alterado para 30 de junho. Já a mudança das placas para a cor vermelha ficou estabelecido mais 60 dias.

Resumo da ópera: os mototaxistas que reivindicavam apenas um adesivamento dos veículos, não obtiveram êxito algum.

Os vereadores oposicionistas tentaram argumentar com os colegas da base governista que fosse feita uma alteração na Lei que pudesse contemplar a reivindicação da maioria dos profissionais da cidade.

Fábio Gentil alertou que na lei aprovada pela Câmara não estava escrito a pintura das motos, mas sim a padronização das mesmas.

Taniery Cantalice lembrou que a Prefeitura de Caxias patrocinou a pintura de 150 motocicletas daqueles que estão sindicalizados, e protestou: “e por que não estender esse beneficio aos demais?”.

Benvinda Almeida lembrou que chegou a ser vaiada quando pediu vistas do Projeto de Lei aprovado na Câmara, “porque eu vi alí que não estava claro quem iria arcar com as despesas da pintura do veículo”.

Embora tenham saído da Câmara com alguma solução, os mototaxistas deixaram o local prometendo continuarem firmes na luta pela conquista dos seus direitos.

Ainda hoje estarei publicando outra postagem sobre esse assunto abordando outras alternativas coerentes para a solução do problema.

0 comentários:

Postar um comentário