Secretário de Saúde adota providências sobre surto de virose em Caxias

5.2.15
É importante é que todos mantenham os cuidados de prevenção contra a Dengue, pois a febre chikungunya também é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.

O surto de uma virose que causa febre, manchas vermelhas pelo corpo e dores nas articulações, mantém em alerta as autoridades de saúde de Caxias. A Secretaria Municipal de Saúde esclarece já tem conhecimento do surto, que vem acometendo centenas de pessoas no município.

Segundo o secretário de saúde, Vinicius Araújo, sem o resultado da análise não é possível afirmar se a virose tenha ou não ligação com a febre chikungunya. O órgão divulgou uma nota de esclarecimento.

Confira a nota:

Com relação ao surto de virose que está acontecendo na cidade, não foram notificados com a febre chikungunya, pois todas as sorologias solicitadas até o momento para o LACEN (Laboratório de referência de exames para diagnóstico de doenças tropicais pelo Ministério da Saúde em São Luís) foram negativas.
Solicitamos à Secretaria de Saúde do Estado que enviasse técnicos até o nosso município para realizar pesquisa de isolamento viral a fim de esclarecer que tipo de vírus possa estar circulando. Até a próxima semana esta equipe deve chegar.
Enquanto isso, é importante é que todos mantenham os cuidados de prevenção contra a Dengue, pois a febre chikungunya também é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti infectado e, menos comumente, pelo mosquito Aedes albopictus”.

Febre Chikungunya

A febre Chikungunya é uma doença parecida com a dengue, causada pelo vírus CHIKV. Seu modo de transmissão é pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado e, menos comumente, pelo mosquito Aedes albopictus.

Seus sintomas são semelhantes aos da dengue: febre, mal-estar, dores pelo corpo, dor de cabeça, apatia e cansaço. Porém, a grande diferença da febre chikungunya está no seu acometimento das articulações: o vírus avança nas juntas dos pacientes e causa inflamações com fortes dores acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor local. (Ascom/Caxias)

0 comentários:

Postar um comentário