Midas da pirataria na comunicação! Humberto Coutinho concede entrevista na TV da Prefeitura e sinal é retransmitido por cadeia de rádios clandestinas

14.1.15
Estava tudo perfeito, mas telespectador quase estraga a festa com pergunta sobre o abono do pasep que servidores da Prefeitura ainda não receberam

Apresentador lia as perguntas feitas pelo marketing de HC
O deputado eleito Humberto Coutinho já não esconde de ninguém que luta para ser o rei da comunicação pirata na região dos cocais. Entrevistado nesta terça-feira, 13, pela TV da Prefeitura de Caxias (Sinal Verde), a direção da emissora providenciou que a mesma fosse retransmitida por uma cadeia de emissoras clandestinas na cidade.

A criação da tal “cadeia da ilegalidade” foi revelada pelo próprio Ivan Brasil, apresentador do programa Cidade Livre, onde aconteceu a entrevista ‘exclusiva’. “Quero parabenizar nossos parceiros das rádios comunitárias [piratas] da sede do município e também da zona rural” disse Ivan Brasil em várias oportunidades.

Ivan Brasil conduziu uma entrevista digna daquelas protagonizadas pelo marqueteiro Carlos Alberto, onde nas perguntas feitas já estavam embutidas as respostas. Aliás, em nenhum momento o entrevistador formulou uma pergunta sua, limitando-se a ler as perguntas feitas pelo indigitado marqueteiro.

As pesquisas dizem que o senhor é a maior liderança política de Caxias”, disse Ivan Brasil ao saber o que o deputado tinha a dizer sobre o assunto. “O senhor apoiou Dino em 2006”, disse novamente Brasil induzindo a resposta de que agora o retorno virá para Caxias. “O senhor está sendo cotado para presidir a AL”, levantou a bola diante do assunto conhecido por 11 entre 10 maranhenses.

Diante de ‘perguntas’ óbvias, as respostas ensaiadas saíram sem nenhum dificuldade.

Caxias foi perseguida, mas o [governador] Flávio Dino vai saber devolver ao povo o apoio” disse o deputado para lembrar que no governo federal, “Flávio conseguia os recursos e Roseana boicotava”.

Prefeito está devendo, mas vai trabalhar para ser reeleito

Falando maravilhas sobre o futuro para Caxias, Humberto teve um momento de sinceridade ao ser perguntado sobre a administração da cidade, comandada pelo sobrinho.

O Léo daqui a 3, 4 meses não vai mais dever a ninguém”, declarou Humberto Coutinho afirmando que irá conseguir recursos para ajudar Caxias. “Vamos conseguir recursos para transformar Caxias num canteiro de obras e no ano da reeleição o povo saberá que o Léo trabalhou e será reeleito”, declarou o deputado demonstrando que a ordem a partir de agora é a reeleição do sobrinho.

Ernesto salvou a pátria

Deputado engoliu seco pergunta sobre abono do pasep
Mas tudo ia muito bem, até que a ironia do destino resolveu pregar uma peça na entrevista ensaiada.

As perguntas que seriam feitas para o entrevistado através de mensagem de texto no celular ou pelo aplicativo whatsapp, acabaram não acontecendo, pois um alegado problema técnico impossibilitou a continuação do script coutinhiano.

A forma encontrada foi o velho e bom ao vivo pelo telefone.

Passando pelo filtro da produção do programa, os telespectadores não faziam perguntas, pois eram partidários do deputado e se derramavam em elogios.

De repente, em meio a um elogio e outro, eis que surge um tal de Ernesto, morador do bairro Volta Redonda.

Ernesto é partidário de Coutinho, mas Ernesto é funcionário da Prefeitura e como tal, tocou onde dói na ferida: perguntou pelo abono do pasep que não foi repassado aos servidores da Prefeitura que tem direito ao beneficio.

Nesse momento, o único que saiu do roteiro do marketing do grupo Coutinho, o deputado engasgou ao tentar engolir seco o questionamento de Ernesto.

Qui, qui, vai ser pago”, gaguejou um constrangido HC. “Qui, qui, não foi pago não por culpa do Léo, mas por um problema técnico do Banco do Brasil”, continuou o deputado tirando o sobrinho da culpa.

Bem, se foi problema técnico do Banco do Brasil, com certeza o mesmo foi muito grande, talvez até mesmo a explosão da sede da empresa do Banco em Brasília, pois alegar “problema técnico” meses depois da data do pagamento deixa todo tipo de dúvida no ar.

É a primeira vez que alguém ligado a atual administração toca no assunto, pois na Prefeitura a história do abono do pasep é assunto proibido.

Centenas de servidores do município ensaiavam acionar o município de Caxias na justiça por conta da falta de pagamento do beneficio.

Caso venha a ser pago realmente, conforme prometeu Humberto Coutinho, bem que o Ernesto merecia uma comissão de todos os beneficiados.

De parabéns o Ernesto, morador da Volta Redonda. Conseguiu a resposta que milhares de caxienses não conseguiram.

5 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Gostaria de solicitar do blog a investigação de contratação de pessoas sem nenhum critério técnico para se juntares a outros que não estão fazendo nada a maioria, pois pode constatar la cpl ja tem muita gente lá que não fazem nada e chegando mais.

  1. Anônimo disse...:

    Essa patota não perde por esperar, todos os negócios sinistros hão de sair do obscuro, por desejo dos justos, que buscam incessante a verdade, pondo em risco a própria liberdade, a vida e abrindo mão de companhia de pessoas hipócrita. Irão com certeza bamburrar, como meninos no melado, porque o alheio fácil é como o mel. Lembra-te do oitavo mandato.

  1. Anônimo disse...:

    Vamos lá seu blogueiro, umbora denunciar esses caras que zombam do povo de Caxias e do Maranhão. Quero ver se eles vão continuar com essa tv pirata deles por muito tempo. Pode arrochar! kkkkkkkk

  1. Anônimo disse...:

    Se o prefeito pagar, que eu duvido, esse Ernesto, que não estava no script, merecia sim uma comissão por esse dinheiro do pasep que os funcionários já davam como perdido.

  1. Anônimo disse...:

    Uma entrevista maluca, comandada por um apresentador que mais parecia uma marionete e onde a maioria das perguntas eram feitas por apaniguados do deputado, vide o caso de Valdenes, um puxa saco dos marinhos e agora dos coutinhos

Postar um comentário