Oposição conseguiu impedir! Doação de terreno da Prefeitura de Caxias para empresário alemão era "uma furada”

22.12.14
O pedido de vistas no Projeto de Lei no 048/2014, de autoria do prefeito Léo Coutinho fazendo a doação de um terreno do patrimônio do município, foi uma das grandes vitórias da oposição caxiense neste ano de 2014.

Na postagem “Tem caroço nesse angu!!! Prefeito Léo Coutinho tenta aprovar doação de terreno para empresa de energia renovável e oposição fica com pulga atrás da orelha (Sessão do descarrego – parte III)” (reveja aqui), publicada na última terça-feira, 16, contei a história da estranha doação desse terreno da Prefeitura para um empresário alemão.

Na mesma postagem do dia 16, disse que iria apurar mais detalhes sobre a empresa que ganharia o terreno e que quando a esmola é grande o santo desconfia, muita água ainda pode rolar embaixo dessa ponte que leva a empresa de energia renovável.

Pois bem, vamos ao que encontrei...

A empresa Renenegy do Brasil Geração de Energia Ltda, de propriedade do alemão Jeans Raffelsieper, foi apresentada no pedido de doação enviado à Câmara pelo prefeito, no seu Art. 1o, parágrafo 2o, que “o imóvel objeto da doação destina-se ‘exclusivamente’ para a instalação de uma empresa de exploração de energias renováveis, por meio da instalação de uma indústria de fabricação de Painéis Fotovoltaicos com capacidade de 5 MW (5 megawatt)...

Eu: é ‘exclusiva’ para que? É uma empresa de exploração de energia renovável, com capacidade para 5 MW, ou será uma indústria de fabricação de painéis fotovoltaicos?

Os questionamentos devem ser feitos porque são duas atividades distintas: ou fabrica os painéis para produção de energia solar para serem comercializados ou produz energia no local.
‘Grande e renomada empresa’ foi criada em 20 de outubro de 2013...

Apresentada pelos entusiasmados vereadores governistas como uma grande empresa de energia renovável, a Renenergy do Brasil Geração de Energia Ltda foi criada em 20 de outubro de 2013, conforme imagem ao lado com dados do site empresas do Brasil.

... E em menos de 30 dias já estava fazendo negócios no RN: rápida no gatilho 
(no detalhe, Jeans Raffelsieper, alemão proprietário da empresa)
Num blog da cidade de Currais Novos, Rio Grande do Norte, menos de 30 dias de criada, em 14 de novembro de 2013, o proprietário da Renenergy do Brasil se encontra com o prefeito daquela cidade tratando de investimentos naquele município. Como é rápido nos negócios, esse rapaz!!!

No Art. 2o do pedido de doação feito pelo prefeito à Câmara, estipula-se como encargos a concessão de desconto de 10% (dez por cento) sobre o valor a ser cobrado pela energia a ser adquirida pela Administração Pública Municipal, logo em seguida ao início de sua produção.

Eu: a energia produzida por empresa de geração de energia só pode ser vendida para as empresas de energia, tais como Eletronorte e Cemar, geralmente através de leilão. A produção é jogada na rede e em seguida comercializada para empresas ou residências. Essa empresa não poderia vender energia para o prédio da Prefeitura de Caxias ou para qualquer outro prédio público, pois para fazer isso teria que criar uma linha de transmissão direta para esses locais, o que é praticamente impossível.

Portanto, esse suposto desconto não poderia ser praticado.

Em outro ponto do Projeto de doação do terreno, o sortudo empresário alemão poderá usá-lo, sem prévia autorização conjunta do Poder Executivo e Poder Legislativo, como garantia para qualquer espécie de financiamento ou empréstimo da milionário área doada.

Cheque em branco para o prefeito

Entre todos os pontos do Projeto de Lei de doação do referido terreno, tem um que joga no lixo todos os demais e permite ao prefeito mudar totalmente as regras.

No Art. 6o está estipulado que “Por ocasião da lavratura da escritura pública de doação, poderão ser estipuladas outras obrigações convencionadas entre as partes”, ou seja, podem piorar o que já é ruim e estranho.

Seria como a Câmara Municipal assinar um cheque em branco para que tudo que fosse aprovado pelos vereadores pudesse ser alterado.

O pai do prefeito

Em entrevista na rádio Tropical FM neste sábado, 20, ao comentar o assunto o veredor Catulé disse que o pai do prefeito de Caxias poderia estar envolvido na história do terreno a ser doado à Renenergy.

Catulé trouxe o nome do pai do prefeito ao enredo porque há meses circula na cidade que Eugênio Coutinho iria instalar na cidade uma empresa de fabricação de painéis solares.

Ainda bem que os vereadores da oposição conseguiram impedir mais essa do governo Léo Coutinho...

4 comentários:

  1. Anônimo disse...:

    Tem cheiro de mutreta ano ar esse negócio ai

  1. Anônimo disse...:

    Pode arrochar que ai tem picaretagem!!! kkkkkk

  1. Anônimo disse...:

    NÃO FUI COM A CARA DESSE ALEMÃO. DA ALEMANHA, SÓ CARRO DA VOLKSWAGEN kkkkkk

  1. Anônimo disse...:

    Esse projeto vai ser aprovado so se o leo da dinheiro para os vereadores
    segundo sair em bastidores
    os meninos ficaram esperto
    eles relatar agora que a partir de 2015
    Qualquer projeto do prefeito eles vao querer dinheiro agora
    e os caras tao certos
    camapanha do lado desse povo de Coutinho e muito cara
    arrocha vereadores que esse prefeito agora tem que dar pra vcs também dividir o bolo
    so quer comer sozinho mais a linda família dele

Postar um comentário