Engenheiro caxiense envolvido em suposto esquema de suborno na Petrobras

18.12.14
José Raimundo Brandão Pereira
foi indicado pelo ministro
Edson Lobão
O engenheiro caxiense, José Raimundo Brandão Pereira, foi citado em depoimento sigiloso à Polícia Federal, feito por um funcionário de Carreira da Petrobras, em que foi revelado detalhes de um esquema de corrupção que pode estar por trás do fim da parceria entre a estatal e a belga Astra Oil. O rompimento obrigou a Petrobras a comprar a parte que cabia à empresa belga na refinaria de Pasadena, causando prejuízo de US$ 792 milhões.

Lobão fugiu dos holofotes desde que o seu nome 
começou a surgir nos sucessivos escândalos na Petrobras
De acordo com a denúncia, a relação entre as empresas teria azedado depois que o engenheiro maranhense José Raimundo Brandão Pereira, indicado pelo ministro Edison Lobão (PMDB), teria mandado a Houston um emissário para propor o superfaturamento nos contratos de aluguel de navio e a apropriação de uma taxa de 1,25%, conhecido como "address commission”, para alimentar o esquema de corrupção. Por mês, a estatal gastava R$ 200 milhões com a operação.

O negócio teria sido recusado pela Astra Oil, que não estava disposta a assumir prejuízos intencionais causados pelo esquema de corrupção. Pereira ocupou diversos postos na estatal — foi diretor da Petrobras International Finance Company (PIFCo) e trabalhou com Paulo Roberto Costa na área de Abastecimento. Ele deixou a empresa em 2012.

Apesar da tentativa de fraude ter fracassado nos Estados Unidos, o modelo teria prosperado na Petrobras América em operações no Golfo do México, onde os navios conhecidos como aliviadores teriam sido afretados por um preço três vezes acima do mercado internacional. O bom desempenho do emissário lhe rendeu até mesmo promoção para atuar na Petrobras Global Trading, com sede na Holanda, mais conhecida como Petrobras Netherlands.

O engenheiro José Raimundo Brandão Pereira pertence a família tradicional de Caxias. Estudante do antigo colégio Diocesano em Caxias, Brandão seguiu carreira na Petrobras onde ocupou vários cargos na estatal fora do país.

Apontado agora em depoimento feito à PF por outro funcionário da Petrobras, Brandão foi procurado por diversos veículos de imprensa para comentar o caso, mas não atendeu a nenhum jornalista. (Com informações de O Globo).

0 comentários:

Postar um comentário