As pesquisas - Único instituto a considerar hipótese de segundo turno no MA, Data Mérita coleciona histórico de irregularidades e vira sinônimo de fraude

6.10.14
Surgiu como um fio de esperança no horizonte da candidatura de Edinho Lobão a possibilidade da realização de um segundo turno da recente eleição no Maranhão. Mas esse fio de esperança não era baseado na conquista de novos aliados e nem na aceitação do povo em atividades de campanha. A esperança, aliás, a única, atendia pelo nome de Data Mérita.

O instituto de pesquisas piauiense era o único do Brasil a apontar a hipótese da realização de uma segunda visita dos eleitores maranhenses nas urnas para escolher seu governador nas eleições ocorridas domingo.

Segundo o Mérita, os percentuais encontrados em sua última pesquisa antes das eleições apontavam que os adversários de Flávio Dino (PC do B), chegavam a 41,12% contra 39.25% atribuídos ao comunista.

De posse desses números, a campanha de Lobão Filho, juntamente com seus satélites da mídia, agarram-se a essa pesquisa para traçar cenários e inundar as redes sociais com a possibilidade de um improvável segundo escrutínio.

Mas o Data Mérita tem um longo histórico de controvérsias no Maranhão e também no Piauí, onde é sediado.

CONSAGROU-SE / No dia 3 de outubro, o instituto Exata, 
apontou que Flávio Dino (PCdoB) teria 64% dos votos válidos; 
Lobão Filho (PMDB), 32%. Das urnas, emergiram o resultado 
oficial: Flávio Dino 63,5%; Lobão Filho, 33,6%.

Entre essas controvérsias constam até, pasmem, a contestação dos estatísticos apontados pelo tal instituto de que não tiveram nenhuma participação nas pesquisas que eram apontados como responsáveis.

Não possuo qualquer contrato firmado com o Instituto Mérita Comércio e Serviços LTDA. Portanto, não permito que o Instituto divulgue meu nome como estatística responsável por qualquer pesquisa por eles realizada”, disse Roselaine Batista num processo que o Ministério Público Eleitoral do Piauí investigava a referida empresa por pesquisas supostamente fraudulentas nos municípios de São João do Piauí, Altos, Simplício Mendes, Pedro II, Santa Rosa do Piauí e até a capital, Teresina, durante as eleições de 2012. Naquele pleito, o Data Mérita também foi denunciado por conta de diferença gritantes de outros institutos nas eleições de Anapurus, Codó e Caxias.

Decisão do juiz da 20a Zona Eleitoral no Piauí, Edvaldo de Sousa Rebouças Neto, suspendeu a divulgação de pesquisa do Data Mérita diante da possibilidade de fraude na referida sondagem nas eleições municipais de 2012 no município de São João do Piauí. A Decisão baseou-se na declaração de outro estatístico, Geraldo José Oliveira, que afirmou, em declaração, não manter qualquer vínculo de trabalho com o instituto.

Irregular ou não, as pesquisas de opinião registradas nestas eleições jogaram na lama alguns institutos de pesquisa e projetaram outros para os aplausos do eleitorado maranhense, a exemplo do Exata, que acertou na mosca o resultado das eleições, apontando diferença de apenas 1% na sua última pesquisa.

Agora já sabemos quem venceu e quem perdeu nestas eleições, e quem se consagrou como um instituto sério ou quem deve, definitivamente, sair do ramo de pesquisas eleitorais.

Com a palavra, os proprietários do Data Mérita...

0 comentários:

Postar um comentário